Torneio Tribruxo

Página 6 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Liam Mellish em Ter Fev 09, 2016 5:27 pm

Um pequeno sorriso brotou no rosto de Oliver antes que seus lábios fossem capturados em mais um beijo. A carícia foi prontamente retribuída e Oliver apoiou as mãos na cintura da francesa, mantendo-a equilibrada nas pontas dos pés.

Ele simplesmente adorava o fato de Anastasia ser tão baixinha. Nem mesmo todo o orgulho e a arrogância que a loira gostava de transparecer evitam que ela precisasse se esticar toda e ficar na ponta dos pés sempre que quisesse alcançar os lábios dele.

Apesar de todas as dificuldades, Oliver não tinha a menor dúvida de que Anastasia era a melhor escolha. Alexia sem dúvida seria uma alternativa mais fácil e mais cômoda, mas a corvinal jamais preencheria o seu coração daquela maneira que só a francesa parecia ser capaz de fazer.

- A quem você quer enganar? – Oliver provocou ao fim do beijo, ainda exibindo os lábios úmidos e inchados pela carícia – Você não mudaria nada em mim, Legrand. Você adora o meu sorriso convencido, o meu cabelo atrapalhado e o meu jeito arrogante.

Antes que Anastasia pudesse explodir com mais aquela provocação, a francesa foi calada com mais um beijo prolongado. Os dois não estavam exatamente no lugar mais seguro do castelo, mas pouco se importavam com o risco de serem pegos em flagrante. O escândalo que estamparia as capas dos jornais parecia desprezível perto da vontade que eles sentiam de ficarem juntos.

- Eu detesto o Alaric.

Oliver confessou ao fim da carícia e girou os olhos azuis com uma nítida impaciência.

- É sério, foi uma péssima escolha, Ana. Não somos inimigos, mas jamais seremos amigos. Eu reconheço as qualidades dele, mas não posso gostar de um cara que torce descaradamente para que eu caia da vassoura e quebre a coluna.

O semblante de Wood mostrava toda a repulsa que ele sentia pelo colega. Era uma rivalidade puramente relacionada ao quadribol. Mas, como o esporte era um dos pontos principais da vida de Oliver, aquela antipatia tinha um lugar de destaque em sua vida.

- Mas você já aceitou ir ao baile com aquele grande imbecil. Então, não há muito a ser feito quanto a isso. Eu só peço para que você seja você mesma e o intimide o bastante para que aquele idiota não se atreva a tomar liberdades.

Uma das sobrancelhas de Oliver se ergueu, mas ele parecia estar falando muito sério quando completou.

- Eu tenho me segurado por quase cinco anos, em respeito à boa convivência dentro da Grifinória. Não me dê motivos para realizar o grande sonho de desfigurar a cara do Saltzman.
avatar
Liam Mellish

Mensagens : 158
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Violet Bryant em Ter Fev 09, 2016 5:57 pm

Não parecia haver um cenário mais perfeito para aquela reconciliação. Florence Legrand era uma garota genuinamente romântica, mas nem mesmo a mente dela conseguiria construir um cenário melhor para aquela noite.

Tudo parecia perfeito demais. O céu coberto de estrelas, os vagalumes que iluminavam a Floresta Proibida. A vista perfeita de Hogsmeade e de toda a imensidão de Hogwarts... Sem dúvida, aquela era uma lembrança que jamais se apagaria na memória de Florence.

Inebriada pelo clima romântico e pelas declarações apaixonadas de Weasley, Florence se deixou levar pelo romantismo do momento e entregou-se por completo às carícias de Charlie.

Inicialmente, os dois uniram os lábios em mais um beijo apaixonado e cheio de saudades. A discussão gerara uma separação que havia durado poucos dias, mas fora o bastante para que os dois jovens se sentissem sufocados. Apesar do pouco tempo de convivência, ambos já se sentiam totalmente dependentes daquele sentimento e da atração que os unia.

Aos poucos, os dois foram se soltando mais e permitiram que os lábios se aventurassem em movimentos mais intensos. A francesa não raciocinava direito quando acompanhou o ritmo daquele beijo mais ousado e seguiu os movimentos dos lábios e da língua do rapaz.

Legrand estava tão inebriada pelo momento que só se deu conta da movimentação de Charlie quando os dois já estavam deitados sobre o cobertor com as cores da Grifinória.

O coração dela estava acelerado, mas Florence não tinha forças para interromper as investidas do rapaz. Ela sentia tanto a falta de Charlie que simplesmente não queria que aquele momento de reconciliação acabasse.

Quando Charlie afastou os lábios dos dela, a francesa pensou que começaria a recuperar a sanidade. Mas Florence percebeu que estava profundamente enganada quando foi surpreendida pelos beijos depositados em seu pescoço. Apesar da temperatura gelada no alto daquela colina, os dois jovens não pareciam nem um pouco incomodados com o frio.

Instintivamente, os dedos dela mergulharam nos fios ruivos do britânico, amparando-o enquanto Charlie se perdia naquelas carícias mais ousadas.

Mais uma vez, Florence não estava raciocinando quando mordeu o lábio inferior e permitiu que um arrepio intenso se espalhasse em sua pele diante daquelas carícias e das declarações apaixonadas de Weasley.

Era impressionante o poder que as palavras ganhavam nos lábios de Charlie. O grifinório era capaz de levar Florence do inferno ao céu usando unicamente a seleção de palavras que ecoariam em sua voz grave.

- Eu também sou louca por você, Charlie... – a declaração soou num sussurro emocionado – Nunca mais quero experimentar a sensação de te perder.
avatar
Violet Bryant

Mensagens : 91
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Cameron Lahey em Ter Fev 09, 2016 7:19 pm

- Eu não vou a lugar algum...

A voz rouca de Charlie soou sussurrada, e no silêncio que a noite estava mergulhada, era suficiente para que Florence escutasse com perfeição.

Seu coração estava acelerado e o rosto fervendo, os lábios inchados estavam levemente entreabertos enquanto ele admirava cada traço angelical de Legrand, com a certeza de que nunca estivera tão apaixonado em sua vida.

Ele havia cometido um grande erro, mas também havia aprendido a amarga lição e jamais provocaria qualquer problema que pudesse ter como consequência a mágoa e o afastamento da francesa.

Suas mãos, estranhamente quentes para a noite fria, afagaram os cabelos de Florence quando Charlie mergulhou em mais um intenso beijo. Os dedos deslizaram até a cintura dela, apertando suavemente sobre o suéter até encontrar uma pequena brecha que o levaria a ter contato direto com a pele macia.

Como se tivesse vida própria, sua mão afundou naquele contato, fazendo com que o suéter feito por Molly Weasley subisse alguns centímetros e expondo a barriga reta de Florence

Todo o corpo de Charlie reagia com cada novo centímentro descoberto do corpo da francesa, e foi com uma admirável coragem e autocontrole que as bocas se separaram para que os dois pares de olhos azuis se encarassem.

O grifinório estava com a respiração ofegante com os carinhos que se intensificavam, mas sabia que se um segundo a mais passasse, poderia não ter mais volta. Foi apenas o carinho que Florence retribuiu com as mãos tímidas que fez Charlie sentir uma pontada de empolgação no estômago.

- Eu posso parar agora, Florence. Mas eu não quero.

As bochechas de Charlie estavam coradas, assim como as pontas das suas orelhas, mas o brilho em seu olhar entregava a determinação e a paixão que ele tentava controlar.

- Você tem certeza que também quer?

Se prestasse um pouco mais de atenção, Charlie conseguiria enxergar o próprio rosto refletido nas íris azuladas de Florence, mas estava concentrado demais prendendo a respiração e aguardando a confirmação dela.

No instante em que Legrand lhe desse o sinal negativo, Weasley precisaria ter força para quebrar aquele contato que seu corpo tanto suplicava. A garganta seca o impedia de dizer qualquer coisa, mas quando Florence acenou positivamente com um menear de cabeça, o incentivando a continuar, Charlie não saberia o que dizer, mesmo que fosse capaz.

Em resposta, ele voltou a beijar os lábios da francesa em uma carícia diferente de todas as outras, tentando transferir todo o amor que sentia por ela naquele único gesto.

Apesar dos carinhos intensos que vieram a seguir, Charlie teve o devido cuidado de ser o mais gentil possível. Com o céu estrelado sobre suas cabeças e envolvidos na noite romântica, o casal se entregou um ao outro, descobrindo os gestos e carícias que só eram capazes de ter um com o outro.

Quando os corpos exaustos finalmente tombaram sobre o cobertor da grifinoria, os dois encararam o céu negro acima de suas cabeças, sentindo a satisfação e a felicidade que os completavam em uma sensação jamais experimentada antes.
avatar
Cameron Lahey

Mensagens : 322
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Anastasia Legrand em Ter Fev 09, 2016 7:46 pm

Anastasia soltou uma risada nasalada enquanto brincava com as pontas dos cabelos de Oliver, mantendo os braços ao redor do pescoço dele. Ela precisava se esticar inteira para se manter unida ao corpo do britânico, mas o esforço era irrelevante quando estava ao alcance para beijá-lo a qualquer momento.

O tom enciumado de Oliver soava engraçado aos ouvidos de Legrand, que jamais cogitou acompanhar Saltzman com segundas intenções e estava longe de enxergar o colega de casa de Wood com algum tipo de interesse. Dentre tantos rapazes em Hogwarts, Wood era o único capaz de fazer o raciocínio sempre alerta da francesa se desligar completamente, apenas para desejar um beijo.

- Não se preocupe, Ollie.... Nós dois sabemos que eu sei ser desagradável como ninguém.

Embora fosse frustrante para a maioria das meninas enxergar a si mesma como uma companhia não muito bem-vinda, Anastasia sabia levar aquilo com bom humor. Sua personalidade explosiva poderia não ser muito bem-vista pela maioria das pessoas, o que só tornava Oliver ainda mais especial.

- Até o final da noite, Alaric vai estar extremamente arrependido em ter me acompanhado. Satisfeito?

Novo som de risinhos fez com que Anastasia se encolhesse e ela soltou um suspiro, apoiando as duas mãos nos braços de Wood.

- Acho melhor voltarmos agora. Espero que a gente consiga pelo menos uma dança no baile.

Com um beijo mais prolongado, Legrand se despediu de Oliver, embora seu corpo protestasse em se afastar dos braços fortes que a mantinham aquecida.

***

Quando a noite do baile finalmente chegou, o castelo estava em polvorosa. Era impossível encontrar uma única menina calma com a noite que estava começando e os preparativos haviam começado logo cedo.

O dormitório das francesas estava de cabeça para baixo e poucas meninas já haviam terminado de se arrumar. Anastasia Legrand, que nunca havia se preocupado tanto em se arrumar, havia gastado horas e horas quando finalmente se deu por satisfeita com o reflexo que via no espelho.

Os cabelos loiros estavam brilhosos e com largos cachos que caíam soltos em apenas um dos ombros. O outro lado de seu rosto era emoldurado apenas por um único cacho fino e pelos grandes brincos prateados que balançavam ao menor dos movimentos.

A francesa, sempre baixinha, havia ganhado alguns centímetros com os sapatos de salto alto escondidos pelo longo vestido azul marinho que quase atingia o preto. O tecido leve balançava com graciosidade e exibia um decote que valorizava o colo nu, ocupado apenas por um colar de prata.

As alças largas deslizavam pelos ombros magros, mas deixavam as costas inteiramente despidas. Apesar de quase reto, o vestido possuía um corte diferenciado na altura das costelas de Anastasia, deixando-as visíveis até emendar com o decote das costas. O corpo magro era realçado com cada detalhe do vestido e Legrand representava bem a escola de Beauxbatoms, rodeada de moças bonitas.

Embora Alaric tivesse insistido em encontra-la no jardim de inverno, como fariam os rapazes que acompanhariam as demais francesas, Legrand insistiu que ele a aguardasse no salão principal, e no horário combinado com os professores para que os campeões abrissem a festa, Anastasia surgiu, apenas para se certificar de que Bellamy era o único dos campeões já presente.
avatar
Anastasia Legrand

Mensagens : 57
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Liam Mellish em Ter Fev 09, 2016 10:12 pm

Embora não pudesse realizar o desejo de passar toda a festa ao lado de Anastasia Legrand, Wood estava bastante animado com o baile. Era um evento único que certamente ficaria marcado na história do castelo. E era uma honra para Oliver ser um dos protagonistas daquela noite memorável.

É claro que tudo seria ainda mais perfeito ao lado de Anastasia, mas mesmo sem a companhia dela o grifinório pretendia aproveitar ao máximo aquela noite. Sem dúvida, a comida e a bebida seriam fartas, todos os amigos mais próximos do rapaz estariam presentes e era uma desculpa perfeita para que o campeão de Hogwarts se esquecesse um pouco de toda a tensão que rodeava a segunda prova do Torneio Tribruxo.

O desafio aconteceria dois dias depois do esperado baile e Wood já tinha tudo planejado para o grande dia. Ainda assim, era inevitável se encher de ansiedade ao pensar no que estava por vir. Naquela noite, contudo, Oliver se permitiu colocar o torneio como uma prioridade abaixo da diversão que esperava por ele no grande baile de inverno.

Conforme combinado, na hora marcada, Wood seguiu o caminho até o Salão Comunal da Lufa-Lufa para buscar a sua acompanhante.

Quando todos souberam que o campeão de Hogwarts havia convidado Nymphadora Tonks para acompanhá-lo no baile, a frustração ficou evidente nas expressões de várias garotas que esperavam ser as felizardas. Alexia Morgan foi uma das meninas que não entenderam a atitude de Wood. Ele tinha a chance de receber um “sim” de praticamente todas as garotas de Hogwarts, talvez até mesmo das esnobes francesas. Era difícil entender porque Oliver desperdiçara aquela oportunidade com a melhor amiga.

A princípio, Tonks parecia não se importar com os comentários maldosos que circulavam pelo castelo. Todos diziam que Wood havia convidado a colega por pena porque sabia que a lufana não receberia nenhum convite e acabaria comparecendo sozinha ao grande baile.

Contudo, quando chegou à porta do salão dos lufanos e deu de cara com Tonks, Wood finalmente percebeu que a melhor amiga não era totalmente imune às críticas.

A garota atendeu a porta com os olhos avermelhados pelo choro. Seus cabelos, sempre tão modernos e coloridos, naquela noite exibiam um tom castanho natural e seu comprimento alcançava a metade das costas dela. Ao contrário de todas as garotas, que trajavam seus melhores vestidos e sapatos, Tonks vestia um pijama surrado e calçava apenas meias.

- Eu não vou. Me desculpe, Wood, eu sei que deveria ter avisado antes. Mas eu realmente achei até o último momento que teria coragem de ir.

Oliver poderia até ter se zangado se não fosse pela voz chorosa que ele nunca vira soar na voz da melhor amiga.

- Por que, Dora?

O lábio inferior de Tonks tremeu e ela cruzou os braços enquanto lutava para não derramar as lágrimas que se acumulavam em seus olhos.

- Porque todos tem razão. Eu sou muito esquisita. Sou digna de pena. Se não fosse o seu convite, eu não teria com quem ir ao baile.

- Eu não te convidei por piedade e você sabe muito bem disso. – Oliver deu um passo adiante e puxou a amiga para um abraço, sem se importar se aquele contato amassaria seu refinado smoking – E aquele papo de sexto sentido? De que tem alguém perfeito para você lá fora?

- Eu não tenho sexto sentido. Perdi média naquela maldita prova de Adivinhação. Meu único consolo é pensar que esta matéria imbecil não é um pré-requisito para a vaga de auror.

As palavras da amiga fizeram Oliver soltar uma risada anasalada. Ao escutar os próprios resmungos, Tonks também acabou rindo e suavizou um pouco a expressão deprimida.

- Você está estressada com a proximidade dos NIEMs. – Oliver afirmou com convicção – Mas estou certo de que você vai se sair bem, Dora. Será uma ótima auror.

- Obrigada. Eu gostaria de ter esta certeza. – a lufana se afastou e ajeitou a gola do paletó do amigo – Não vai ficar chateado comigo, vai? Estou certo de que não vão faltar candidatas para dançar com você esta noite.

- Eu não vou ao baile sem você, Dora.

- QUE? – a garota colocou as mãos na cintura – Você comeu cocô de hipogrifo, Wood!? É a sua grande noite!

- Talvez seja mesmo uma grande noite. Mas ela não é mais especial do que a companhia da minha melhor amiga. Se você está mal, eu vou assumir o papel que cabe a mim. Ficarei do seu lado te importunando e roubando seus bombons. Porque eu sei que você devora caixas e caixas de doces quando está triste.

- Wood, eu não quero que você perca o baile.

- E eu não quero ir sem você. Não será tão divertido sem a sua companhia.

Diante daquele impasse, Tonks encarou o melhor amigo por longos segundos. Assim como seus cabelos, suas íris naturais tinham um tom diferente de castanho. Oliver estava tão acostumado a ver Nymphadora com uma aparência exótica que se esquecera do quanto ela era naturalmente bonita.

- Eu vou, então. – a lufana bufou enquanto olhava os pijamas velhos – Mas vou precisar de alguns minutos para ficar minimamente apresentável.

- Tem certeza, Dora?

- Tenho. – a garota o encarou com firmeza – Não faz sentido acabar com o meu estoque particular de doces quando o Dumbledore certamente encheu uma mesa inteira com sobremesas. Vá na frente para não perder o começo da festa. Eu te encontro no salão em vinte minutos.

(...)

Quando chegou à entrada do Salão Principal, com vários minutos de atraso, Wood já esperava ser o último campeão a aparecer. Minerva McGonnagal lançou ao grifinório um olhar mortal que deixava bem clara toda a sua insatisfação por aquele atraso.

- Menos dez pontos para a Grifinória!

- Mas professoooooora! – Wood abriu os braços – Hoje é um dia especial!

- Tem razão, Sr. Wood. Menos vinte pontos!

Ao perceber que qualquer palavra dita seria usada contra ele, Oliver se limitou a abaixar os braços com um olhar derrotado. Mas nem isso diminuiu a fúria da professora ao notar que o campeão de Hogwarts estava sozinho.

- E a sua acompanhante???

- Ela teve um problema, mas já está vindo.

- Já estamos MUITO atrasados, Sr. Wood!

- Só mais dez minutos professora!

- Cada minuto a mais de atraso será um ponto a menos para a Grifinória!

- Heeeey! – o rapaz cruzou os braços – Mas a minha acompanhante é da Lufa-Lufa! E é ela quem está atrasada!

- Menos cinco pontos por tentar transferir a culpa para uma garota, Sr. Wood!

- Wood, cale esta boca antes que a Grifinória termine a noite devendo pontos!!!

A voz de Saltzman soou por trás da professora Minerva e só então Oliver notou que havia mais pessoas no saguão de entrada do Salão Principal. Seus olhos se estreitaram perigosamente para o colega, mas Wood não conseguiu manter o semblante fechado por muito tempo.

No exato instante em que seus olhos capturaram a imagem de Anastasia Legrand, um calor gostoso se apoderou do corpo do rapaz. A francesa era naturalmente bonita, mas naquela noite superava todas as melhores expectativas de Oliver. O vestido, o penteado, a maquiagem... cada pequeno detalhe beirava a perfeição. Anastasia estava tão linda que nem mesmo a presença de Alaric ao seu lado estragaria a beleza daquela visão.

Os olhos de Wood refletiam toda a admiração que ele sentia quando o rapaz contornou o corpo da professora para se aproximar dos colegas.

Tal como a noite exigia, Oliver também estava absurdamente elegante trajando um smoking completo. As vestes a rigor eram predominantemente pretas, exceto pela camisa branca e pela gravata borboleta cinza-chumbo, exatamente da mesma cor do lenço perfeitamente dobrado dentro do bolso do rapaz. O colete lhe dava um ar ainda mais elegante, bem como os sapatos sociais que brilhavam de tão bem engraxados.

Naquela noite, Wood havia decidido dar um jeito nos cabelos e exibia os fios úmidos e muito bem penteados para trás, o que lhe proporcionava uma aparência mais madura.

Sem dúvida, ele e Anastasia formariam o casal mais bonito daquela noite se pudessem entrar juntos no baile.

- Uau. Ela está... linda.

A voz de Alaric soou e, por estar com os olhos tão fixos em Anastasia, Wood imaginou que o colega falava da beleza da francesa. Sem nem piscar, Oliver concordou com um movimento de cabeça. O campeão de Hogwarts só percebeu que Alaric não se referia à própria acompanhante quando Bellamy, também com um olhar meio abobado, se sobressaltou.

- Pelas barbas de Merlin, ela caiu!

O estrondo vindo das escadas fez com que Wood finalmente conseguisse tirar os olhos de Anastasia. Quando as íris azuis se voltaram para os degraus, tudo o que o rapaz viu foi um vulto esverdeado rolando até aterrissar de forma nada elegante no saguão. Minerva McGonnagal correu até a garota e a ajudou a se levantar, preocupadíssima com aquela queda nada suave.

- Eu estou bem, estou bem, professora. – Tonks se colocou de pé, ajeitando o vestido – Eu não seria eu mesma se não caísse da escada, a senhora sabe.

- WOOD, MENOS DEZ PONTOS POR NÃO ESTAR POR PERTO PARA SEGURAR A SUA ACOMPANHANTE!

- Professora, com todo o respeito. – Wood se aproximou apressado – Se a senhora for me tirar dez pontos a cada vez que a Tonks tropeça, derruba alguma coisa ou cai de uma cadeira, a Grifinória terá seus pontos zerados em aproximadamente... – o rapaz fingiu calcular - ... dois dias.

Ao invés de se ofender, Nymphadora soltou uma risada gostosa, mostrando que seu bom humor estava de volta. Quando se colocou ao lado da lufana e entrelaçou seu braço ao dela, Oliver teve que admitir que Alaric tinha razão. Tonks estava linda com o vestido verde rendado e com os cabelos castanhos soltos, caindo em ondas perfeitas às costas dela. A maquiagem leve realçava seus traços delicados e ela tinha um sorriso lindo quando não estava fazendo caretas ou implicando com os amigos.

- Gostei disso que fez com os seus olhos. – Wood comentou baixinho.

- O que? – Tonks o encarou, confusa – Eu não fiz nada com os meus olhos. Estão castanhos, como sempre foram.

- Estão verdes.

- Você já bebeu, Wood? – Tonks parou em frente a uma das armaduras que, de tão bem polidas, funcionava como um espelho – Estão castanhos!

- Na maior parte sim. Mas as extremidades estão esverdeadas.

A lufana quase encostou o queixo na armadura para enxergar aquele detalhe. De fato, Wood tinha razão. Seus olhos eram castanhos, mas a pontinha mais externa das íris formava um incomum aro esverdeado que nem mesmo Tonks jamais notara. Ela estava tão acostumada a mudar de aparência todos os dias que não conhecia bem as peculiaridades do próprio corpo.

- Wood, você quer perder mais pontos??? – a voz histérica de Minerva ecoou pelo saguão – Traga a sua acompanhante e entre na fila! Vocês vão entrar no salão agora! E Tonks... – a professora tentou usar uma voz mais suave – Tente não cair de novo. Por favor.

- Pode deixar, professora! – a lufana ergueu o polegar – Vamos acabar logo com essa palhaçada. Eu estou com fome!
avatar
Liam Mellish

Mensagens : 158
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Violet Bryant em Ter Fev 09, 2016 10:57 pm

Todas as garotas presentes em Hogwarts estavam completamente eufóricas quando finalmente chegou a noite do baile de inverno. Sem dúvida, era o momento mais esperado do ano pela maioria dos alunos e as meninas não tinham a menor dúvida de que aquela prometia ser a melhor noite de suas vidas.

Exceto Florence Legrand. A francesa também estava animada com o grande baile, é claro, mas ela sabia que nada naquela noite poderia superar o sonho vivido há alguns dias, no ponto mais alto da colina que cercava Hogwarts. O momento compartilhado unicamente com Charlie Weasley, sob o céu cravejado de estrelas e as luzes da Floresta Proibida certamente não seria superado por um simples baile de gala.

Aliás, Florence só pretendia comparecer ao baile porque teria a companhia do grifinório. Sem Charlie, a francesa não teria nenhuma motivação para ficar animada e para se arrumar tanto para aquela noite.

- Você tem um acompanhante, então...? – uma das colegas de Beauxbatons perguntou quando percebeu que Florence começaria a se arrumar para o baile.

Para evitar que Charlie sofresse a mesma exposição de Tonks, Legrand preferiu não contar a ninguém que já havia aceitado um convite para a festa. Nos dias que antecederam o grande baile, a francesa foi obrigada a distribuir mais algumas dezenas de “nãos”, um deles especialmente destinado a Lars Lothringen.

Exceto por Florence, todas as garotas de Beauxbatons já tinham seus pares definidos, mas só naquela noite todos saberiam que Legrand também já tinha feito a sua escolha.

- Tenho, Claire.

- E quem é ele?

- Você vai ver.

Com um sorriso enigmático, Florence deu as costas à colega e deixou claro que não pretendia levar aquela conversa adiante.

Embora soubesse que Charlie já a amava e já admirava a sua beleza, Florence se esforçou para surpreendê-lo naquela noite. Foi pensando apenas em agradar o ruivo que ela escolheu cada pequeno detalhe de sua aparência.

O vestido longo tinha um tom elegante e escurecido de dourado. A parte de cima era justa no tronco de Florence, coberta por um delicado tecido rendado e bordada com minúsculas pedrinhas brilhantes. As alças do vestido eram largas, mas o decote em forma de coração se aprofundava pelo centro do busto dela. A parte de baixo do vestido era formada por uma saia mais solta, composta por diversas camadas de musseline. A leveza do tecido dava a ela mais mobilidade e suavidade.

Os cabelos loiros estavam parcialmente soltos naquela noite. Florence havia puxado apenas duas mechas laterais e prendido os fios com um delicado arranjo dourado, deixando as demais mechas soltas e onduladas às suas costas.

Aquela seria uma ocasião perfeita para usar a tiara dada por Lars, mas é claro que Florence jamais estragaria a noite de Charlie optando por aquele detalhe. Portanto, o único acessório escolhido pela francesa foi uma delicada pulseira que combinava perfeitamente com o restante do seu visual.

Exatamente no horário combinado com Weasley, Florence surgiu no jardim de inverno. O coração dela saltava de ansiedade dentro do seu peito, mas acalmou-se no instante em que seus olhos captaram a imagem de Charlie. Um sorriso brotou naturalmente nos lábios de Legrand e suas bochechas adquiriram uma coloração mais rosada enquanto o rapaz se aproximava dela.

Todos os rapazes de Hogwarts compareciam ao baile com a esperança de conseguirem pelo menos um beijo até o final da noite. Mas Charles Weasley não precisou sustentar aquela ansiedade por tanto tempo.

Sem se importar com quem pudesse estar olhando na direção dos dois, Florence deslizou as mãos pelos ombros do britânico num gesto carinhoso e o cumprimentou com um beijo delicado nos lábios. Sem dúvida, dezenas de rapazes gostariam de estar na pele de Weasley naquela noite memorável.
avatar
Violet Bryant

Mensagens : 91
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Anastasia Legrand em Ter Fev 09, 2016 11:05 pm

Enquanto McGonnagal ralhava com Oliver e lhe descontava pontos pelos motivos mais bobos, Anastasia já admirava a beleza do campeão de Hogwarts por cima do ombro da professora, quase ficando nas pontas dos pés para conseguir enxerga-lo melhor.

Bastou que os olhares dos dois se encontrassem para Legrand corar ligeiramente, os lábios se curvando em um sorrisinho discreto em aprovação aos trajes escolhidos por Oliver. Se a visão dele, completamente encharcado no lago, era suficiente para distrair a francesa, ela teria problemas ainda maiores naquela noite.

A atenção de Anastasia só foi desviada de Oliver quando o comentário de Alaric chegou aos seus ouvidos, obrigando as íris verdes girarem para procurar o alvo daqueles elogios. Por um segundo, Legrand estreitou os olhos bem maquiados, tentando reconhecer o rosto da acompanhante de Wood.

Ela não se lembrava de ter visto a morena em Hogwarts antes, e sentiu a irritação começar a crescer, a típica vontade de socar Wood formigando seus dedos. O goleiro havia prometido que acompanharia a melhor amiga naquela noite, apenas como amigos, e de repente aparecia com uma bela moça ao seu lado.

Foi apenas quando Tonks caiu escada a baixo que Legrand reconheceu a voz da lufana, livre dos cabelos coloridos e chamativos que costumava usar. Se não soubesse que apenas amizade existia entre ela e Oliver, a francesa certamente teria se inflamado de ciúmes naquele instante. Nymphadora estava incrivelmente bonita e merecia receber todos os olhares e elogios aquela noite.

Anastasia chegou a dar alguns passos na direção da lufana quando ela caiu, levando a mão para cobrir a própria boca aberta em surpresa.

- Ela está bem? – Seu sotaque francês soou sinceramente preocupado enquanto Tonks levantava, mostrando o polegar positivamente para a professora.

- Ela me parece ótima. – Alaric tinha as sobrancelhas arqueadas em surpresa enquanto puxava Ana para a fila dos campeões.

Bellamy já estava em primeiro lugar com uma acompanhante de cabelos negros presos em um coque e um longo vestido prata. A menina, que Ana já havia visto usando o uniforme da Corvinal, parecia extremamente minúscula ao lado do grandalhão da Durmstrang, mas pareciam formar um belo casal.

Alaric estava posicionado logo atrás dele, e apoiou a mão na cintura de Anastasia enquanto a professora corria para o interior do salão, provavelmente para anunciar que os campeões estavam prontos.

Enquanto encarava as grandes portas fechadas, Legrand se remexeu até se voltar para o último casal da fila. Ela olhou Nymphadora de cima a baixo antes de abrir um largo sorriso, as mãos correndo agilmente para retirar os próprios brincos prateados.

Antes que a diretora da grifinória pudesse voltar, Anastasia os ergueu na direção da lufana, que a encarou com os olhos castanhos confusos.

- Você já está linda, Tonks. Mas meus brincos vão combinar muito mais com o seu vestido.

A morena olhou com estranheza para as joias que brilhavam na mão da francesa e então para o próprio acompanhante. Anastasia precisou erguer a palma alguns centímetros e alargar o sorriso para incentivar Tonks de receber aquele inesperado presente.

O gesto, completamente aleatório para quem visse a cena de fora, era apenas o modo de Legrand fazer algo gentil para a melhor amiga de Oliver. Apesar de não ter tido muito contato com a lufana, ela não tinha dúvidas de que a menina teria diversas qualidades, ou Wood jamais confiaria tanto em alguém.

- Ahn... Obrigada, Legrand.

Enquanto colocava os brincos prateados de Anastasia nas próprias orelhas, Nymphadora lançou mais um olhar intrigado ao melhor amigo, mas antes que tivesse a chance de sussurrar qualquer gracinha, as grandes portas do salão se abriram.

As grandes mesas que sempre serviam para as refeições haviam desaparecido, sendo substituída por dezenas de outras mesas menores, cobertas de um tecido azul-bebê que brilhava com a iluminação forte do local. A decoração branca e azul preenchia toda a extensão do salão e uma neve falsa caía do teto até uma altura segura suficiente para não tocar a cabeça dos convidados.

Onde normalmente ficava a mesa dos professores, uma banda tocava uma música instrumental para receber os campeões do Torneio Tribruxo.

O polido sorriso de Anastasia logo ocupou seus lábios enquanto ela seguia o caminho de Bellamy e sua acompanhante até a pista de dança localizada em frente ao palco. Com o nariz empinado, ela pouco olhava para as pessoas ao seu redor, mas podia escutar os sussurros surpresos de muitos quando reconheciam Nymphadora Tonks vindo logo atrás de si.
avatar
Anastasia Legrand

Mensagens : 57
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Liam Mellish em Ter Fev 09, 2016 11:36 pm

Quando as portas do Salão Principal se abriram e todos os olhares se voltaram para os três campeões e seus respectivos acompanhantes, Wood sentiu que os músculos de Tonks ficaram mais tensos. Antes que a amiga sucumbisse à pressão e tropeçasse nas próprias pernas, a voz de Oliver soou divertida no ouvido dela.

- Encontre a mesa dos professores e eu aposto que os doces estarão bem próximos de lá. Todos os movimentos do velho Dumbie são muito bem calculados.

Um sorriso ainda meio tenso brotou nos lábios da lufana, mas ela respirou fundo e encarou de frente aquele desafio. De braços dados com Wood, Nymphadora adentrou o salão com passos firmes, atraindo para si uma coleção de olhares confusos e surpresos. Até mesmo amigos mais próximos da metamorfomaga tiveram dificuldade para reconhecê-la sem os cabelos coloridos e as roupas extravagantes.

Quando os três casais se posicionaram no meio do salão, a banda iniciou a música que abriria oficialmente o baile. Tonks e Wood haviam treinados alguns passos, mas ainda assim a lufana estava tensa. Ela conhecia as próprias pernas melhor do que ninguém e sabia que não podia confiar nelas.

- Não me deixe cair, Wood!

- Então não tente me derrubar, Tonks!

A conversa sussurrada terminou quando os dois deram o primeiro giro pelo salão, ao som da orquestra. Apesar de não ser nada habilidosa, Nymphadora se saiu bem nos primeiros minutos de dança e quase ninguém percebeu quando ela pisou nos pés de Oliver. Cinco vezes.

- Quando isso vai acabar, oh Godric! – Oliver resmungou ao levar a sexta pisada.

- Está divertido, Wood!

- Meus pés discordam.

Tonks novamente riu, mas o riso se transformou numa potente gargalhada quando os olhos da garota capturaram uma imagem entre um giro e outro. As sobrancelhas de Oliver se ergueram e ele ficou confuso até que a amiga inclinasse o rosto discretamente para a esquerda.

Quando olhou na direção indicada por ela, Wood também não foi capaz de segurar o riso. Dumbledore estava sentado na mesa destinada aos professores, ao lado de Madame Maxime. A mesa de doces estava tão próxima que o diretor de Hogwarts só precisava esticar o braço para ter ao seu alcance a delícia que quisesse.

- Ele é tão previsível! – Tonks riu e ainda estava sorrindo quando a primeira dança finalmente chegou ao fim – Só esta cena já fez valer a pena ter vindo neste baile!

- Eu disse que não seria tão divertido sem você! – Oliver sorriu de volta para a amiga – Estou feliz que tenha vindo, Dora.

- Vai ficar ainda mais feliz agora. Acrescente isso na lista de coisas que você já me deve, Wood.

Sem maiores explicações, Tonks se afastou do amigo sem mencionar o que planejava fazer. Oliver manteve o semblante confuso até que a lufana se colocou diante de Bellamy e começou a gesticular enquanto falava.

- A professora Minerva disse que deveríamos trocar os casais na segunda dança. Então eu fico com o Bellamy, a Katie fica com o Alaric e a Legrand dança com o Wood.

O semblante insatisfeito de Saltzman era um sinal claro de que o rapaz pensava em questionar aquela troca de casais, mas ele viu que aquela era uma guerra perdida quando Bellamy aceitou facilmente a proposta e segurou a mão de Tonks. Wood também tinha um sorrisinho convencido nos lábios quando se aproximou da francesa e usou um dos ombros para deslocar Alaric.

- Anda logo, Saltzman. Temos um protocolo a seguir aqui!
avatar
Liam Mellish

Mensagens : 158
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Cameron Lahey em Ter Fev 09, 2016 11:43 pm

Assim como a francesa, Charlie havia mantido em segredo que iria ao baile acompanhado de ninguém menos do que Legrand. Ele aproveitou a discrição da loira para que fofocas começassem a percorrer os corredores de Hogwarts e acabassem causando algum problema para qualquer um dos dois.

Florence era uma das meninas mais cobiçadas para aquela festa e os rapazes não estavam medindo esforços para tentar ser o grande escolhido da francesa, sem terem ideia de que Weasley já ocupava aquele cargo.

Embora toda a atenção em cima de Legrand lhe incomodasse, Charles também se sentia extremamente sortudo por cada dia que passava ao lado da francesa. Ele sabia que os dois viviam em mundos opostos e, com medo de causar qualquer constrangimento, se esforçou para estar dignamente apresentável quando apareceu no jardim de inverno naquela noite.

Enquanto Legrand estava acima do alcance da maioria dos rapazes de Hogwarts, e aos olhos de todos, completamente fora de cogitação de um Weasley, haviam dezenas de outras meninas que se sentiriam lisonjeadas em acompanha-lo ao baile.

Com um número infinitamente menor quando comparado a quantidade de convites que Florence havia recebido, Charles também havia sido cercado algumas vezes, e embora fosse menos comum que as meninas tomassem a iniciativa, ele também precisou dizer “não” algumas vezes.

Junto com a aproximação do baile, era fácil notar como as meninas o olhavam com mais frequência e lançavam dezenas de “Ooooi, Charlie!” ao longo do dia. Por mais de uma vez, meninas que ele pouco havia conversado durante os sete anos em Hogwarts, de repente tinham dezenas de assuntos para conversar e algumas se esforçavam até mesmo para falar de Quadribol, na esperança de serem notadas e convidadas pelo ruivo. A única coisa que todas elas tinham em comum era a frustração quando Weasley declinava educadamente.

Foi por causa de seu receio em decepcionar Florence naquela noite que Charlie enfiou no fundo do malão a roupa de gala enviada pela mãe, completamente inapropriada e fora de moda há algumas décadas. O rapaz precisou vender sua pequena coleção de livros de criaturas mágicas e um pequeno pomo-de-ouro que havia ganhado do pai no ano em que entrara para o time de Quadribol da Grifinória para conseguir dinheiro suficiente e comprar um novo smolking.

Quando o ruivo finalmente apareceu no jardim de inverno naquela noite, ele estava mais elegante do que já estivera em toda sua vida. As roupas surradas haviam sido substituídas pelo traje a rigor inteiramente negros.

Os sapatos eram de segunda mão, mas estavam perfeitamente engraxados e brilhantes. A calça social lhe caía com perfeição, alongando as pernas já tão compridas. O smoking, embora não fosse tão caro quanto de tantos rapazes que desfilariam naquela noite, era bonito e elegante, com os dois botões fechados por cima da camisa também escura. A gravata tinha um brilho cetinoso, do mesmo tecido do lencinho em seu bolso.

Os cabelos ruivos estavam embebidos em gel e puxados para trás, deixando ainda mais evidente os traços bonitos de Charlie, com o rosto salpicado em sardas. Apesar de estar perfeito da cabeça aos pés, o maior diferencial apenas surgiu quando Florence entrou em seu campo de visão, fazendo o sorriso espontâneo de Charlie iluminar todo o seu rosto.

- Você está linda. – Ele conseguiu dizer, no instante em que o beijo foi interrompido.

Embora estivesse muito feliz em finalmente poder beijar Legrand na frente de quem quer que fosse, a beleza da francesa ofuscava o restante do mundo, o obrigando a pensar e enxergar apenas ela.

- Na verdade, você é linda. Mas está ainda mais maravilhosa esta noite.

Um de seus braços segurava Florence com firmeza pela cintura e o outro foi puxado até revelar um lírio branco diante dos olhos azuis. O gesto romântico fez com que as bochechas de Charlie corassem levemente. Ele era um rapaz de dezessete anos que não estava acostumado a ser tão atencioso com uma menina e ainda tinha dúvidas do que realmente seria recebido bem ou não.

- Foi ideia do Percy... – O grifinório explicou, encolhendo os ombros. – Ele disse que você iria gostar.

Charles esperou que os dedos delicados de Florence recebessem a flor antes de lhe oferecer o braço.

- Preparada para dançar?

Embora fosse um péssimo dançarino e provavelmente fosse acabar esmagando os pés de Florence, se Weasley pretendia ser o acompanhante perfeito, ele sabia que precisaria enfrentar uma música ou outra.
avatar
Cameron Lahey

Mensagens : 322
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Anastasia Legrand em Qua Fev 10, 2016 12:11 am

Ao contrário de Nymphadora, Anastasia se mexia com graciosidade nos movimentos de Saltzman, o vestido azul rodopiando em seus tornozelos e o sorriso polido fixo em seu rosto, transparecendo a imagem perfeita de uma donzela educada e de família tradicional.

No fundo, Legrand já estava exausta e queria que aquela tortura terminasse o quanto antes, mas tinha um papel a cumprir e sabia como ninguém usar a máscara que a sociedade exigia.

Alaric, com uma das mãos firmes em sua cintura, também exibia um enorme sorriso, mas que parecia muito mais sincero que o da francesa. Afinal, ele estava abrindo o baile com uma das campeãs do torneio. Uma campeã tão bonita que muitos outros rapazes fariam de tudo para estar no seu lugar.

- Você também está incrível, Ana. – O grifinório sussurrou em seu ouvido no meio de um dos rodopios, enquanto os olhos esverdeados da francesa buscavam por Wood do outro lado da pista de dança.

- Obrigada.

Ela respondeu secamente, fazendo uma careta quando os dedos pegajosos de Saltzman deslizaram pelo decote de suas costas, tocando diretamente sua pele. Foi um alívio quando a música finalmente acabou, mas ao invés de fugir das garras do grifinório, a loira acompanhou o movimento de Nymphadora com as sobrancelhas erguidas, incapaz de se mexer.

Pela primeira vez naquela noite, ela finalmente exibiu um sorriso sincero de diversão e precisou segurar a gargalhada quando Oliver tentou expulsar Alaric contra vontade. Ana mordeu o lábio inferior para conter o riso enquanto olhava de um britânico para o outro e se esforçou para lançar um sorriso mais doce na direção de seu acompanhante.

- Por favor, Alaric. Você viu como a professora McGonnagal estava furiosa. Não quer fazer a grifinória perder mais pontos, não é?

A personalidade da campeã da Beauxbatoms estava longe de ser tão imaculada quanto a de Florence, mas os traços delicados colaboravam quando Anastasia exibia um falso sorriso dócil. Embora fosse bastante explosiva, Legrand sabia como deveria se comportar quando desejava algo. E naquele momento, tudo que ela queria era convencer Saltzman a deixa-la ter uma dança com quem realmente gostava.

- Está bem. Apenas mantenha essas suas mãos de manteiga onde eu consiga ver, hein Wood!

A inimizade já comentada por Oliver parecia ser inteiramente recíproca quando Alaric se afastou lançando um olhar atravessado ao goleiro oficial do time. Ignorando completamente a existência de Saltzman, Anastasia se aproveitou da facilidade que seus saltos causavam e rodeou o pescoço de Oliver com os braços quando uma música lenta começou a ecoar pelo salão.

Com um sorriso divertido nos lábios, Legrand se acomodou nos braços do campeão de Hogwarts e procurou os olhos azuis, sentindo a conhecida sensação de cambalhota no estômago sempre que encarava o rosto bonito dele.

- Eu preciso admitir que além de muito bonita, sua acompanhante é absurdamente inteligente.

Legrand balançava o corpo no ritmo da música, mantendo seu corpo colado ao de Oliver.

- Tem certeza que ela é sua amiga, Wood? Me parece legal demais para andar com você.

Apesar da provocação, a francesa mantinha o sorriso nos lábios pintados enquanto se deliciava em sentir os músculos de Wood se contraindo com os movimentos da dança. Os olhos verdes adquiriram um brilho quando Ana inclinou a cabeça ligeiramente para o lado, fazendo com que alguns dos cachos perfeitos deslizassem pelo seu ombro.

- Mas confesso que estou muito feliz em ter a chance de uma dança com você.
avatar
Anastasia Legrand

Mensagens : 57
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Violet Bryant em Qua Fev 10, 2016 12:29 am

As roupas escolhidas por Charlie não influenciavam o sentimento que a francesa já nutria por ele. Contudo, naquela noite, Florence precisava admitir que o ruivo tinha superado as expectativas dela. Weasley sempre fora um rapaz bonito aos olhos de Florence, mas naquela noite ele estava absurdamente atraente com aqueles trajes tão refinados.

- Você também está lindo, Charlie.

Os olhos azuis brilharam quando o lírio branco foi estendido em sua direção. O sorriso que iluminou o semblante de Legrand daria ao rapaz a certeza de que aquela fora uma excelente ideia. Florence deslizou as delicadas pétalas no próprio rosto antes de encaixar a flor no arranjo que prendia os fios loiros, transformando o lírio em um acessório perfeito do seu visual daquela noite.

- O Percy acertou.

Como se lembrava perfeitamente da forma como Charlie se esquivara de dançar na festa da clareira, não era difícil para Florence concluir que aquela não era mais uma das muitas habilidades do grifinório. E isso só fazia com que Weasley parecesse ainda mais perfeito aos olhos da loira, já que ele estava disposto a enfrentar uma pista de dança por ela.

- Não faça esta cara, Charlie, não tem como ser tão ruim. – a francesa sorriu antes de usar a mão livre para acariciar o rosto do rapaz – Nós dois estaremos juntos, afinal.

Quando os dois entraram no Salão Principal de braços dados, a fofoca já havia se espalhado como pólvora pelo castelo. Praticamente todos já sabiam não só que o Weasley fora o felizardo escolhido por Florence, mas também que a francesa já havia unido seus lábios aos dele no jardim de inverno.

Mesmo que os dois já esperassem pelos olhares surpresos e pelos comentários sussurrados, Florence se sentiu incomodada ao notar que vários rapazes lançavam olhares de desprezo a Weasley, como se o ruivo não fosse digno daquela sorte.

Como se quisesse compensar Charlie por aquela injusta exposição, Florence não economizou nas manifestações de carinho. É claro que os dois não protagonizariam nenhuma cena apaixonada diante de uma plateia, mas Legrand fez questão de passar os braços pelo pescoço do acompanhante e de usar as pontas dos dedos para acariciar a nuca dele.

- Eu sei que já disse isso, mas preciso repetir. Você está lindo, Charlie...

Aquele momento doce do casal foi bruscamente interrompido quando alguém se aproximou por trás de Legrand. A forma como os músculos de Weasley ficaram tensos e seu semblante se tornou carregado foram uma excelente pista. Florence já esperava por isso quando se virou e deu de cara com Lars.

- Oi! Vocês se acertaram, então, eu fico feliz por isso.

A falsidade estava presente em cada gesto de Lothringen e era visível que ele fazia um esforço desumano para não demonstrar o ódio que sentia ao saber que perdera mais uma batalha para o Weasley pobretão.

- Eu imagino que vocês queiram aproveitar a noite, mas, se não for pedir demais, eu gostaria da companhia da Florence em pelo menos uma dança.

Antes que Charlie tivesse a chance de explodir, Legrand apertou com firmeza a mão do ruivo e tomou a frente daquela delicada situação. Com o seu típico sorriso meigo, a francesa soou bastante educada naquela negativa.

- É o primeiro evento que Charlie e eu comparecemos como namorados, Lars. Então queremos aproveitar ao máximo a companhia um do outro. Quem sabe numa próxima ocasião, hm?
avatar
Violet Bryant

Mensagens : 91
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Liam Mellish em Qua Fev 10, 2016 12:47 am

As palavras de Alaric fizeram com que uma potente raiva se distribuísse por todo o corpo de Wood. Quem o grifinório pensava ser para dizer como Wood deveria tocar Anastasia? Os dois se encararam como dois felinos que disputavam o mesmo território enquanto Saltzman se afastava, caminhando na direção da acompanhante de Bellamy.

A real vontade de Oliver era tomar Anastasia nos braços, unir seus lábios aos dela e mostrar a Alaric e a todos os outros que ele era o escolhido da francesa. Contudo, antes que pudesse fazer aquela loucura, Igor Karkaroff entrou no campo de visão do britânico, como se o destino quisesse lembrar Wood de que havia muita coisa em jogo com aquele torneio.

- E eu preciso admitir que, além de muito idiota, o seu acompanhante está despertando todos os meus instintos homicidas. Eu poderia citar pelo menos dez maneiras de matá-lo lenta e dolorosamente.

Toda aquela raiva evaporou no instante em que Anastasia o enlaçou com os braços e os dois iniciaram a dança. A presença da francesa não deixava que nenhum sentimento negativo tivesse espaço na mente de Wood. Toda a sua concentração estava fixa na beleza de Ana, nos seus sorrisos e na voz doce que atingia os sentidos do campeão de Hogwarts.

Mesmo que os dois não formassem oficialmente um par, logo vários olhares acompanhavam a dança deles com admiração. Anastasia estava linda naquela noite e combinava muito mais com Oliver do que com Alaric. Os dois se moviam com leveza e harmonia, como se já estivessem acostumados a dançar juntos há anos.

- Devemos isso à Tonks. E acredite, ela vai cobrar por este favor algum dia.

Segurando uma das mãos de Legrand com firmeza, Oliver a amparou enquanto girava a loira em torno do próprio corpo. Logo em seguida, o grifinório a trouxe de volta para junto de seu peito e continuou a se mover no exato ritmo da música.

- Você está linda.

A declaração foi dita num sussurro e Oliver teve o cuidado de movimentar os lábios o mínimo possível. Assim, aquelas palavras não seriam capturadas nem mesmo pelo mais detalhista dos observadores daquela dança.

- Eu preciso te beijar. Dê um jeito de se livrar daquele imbecil e fuja comigo por alguns minutos.

Quando a banda finalizou a segunda música da noite, ao som de palmas entusiasmadas, Dumbledore finalmente anunciou que a pista de dança estava liberada para todos os casais. Como várias pessoas invadiram aquele espaço, Alaric teve um pouco de dificuldade em alcançar novamente a parceira e deu a Oliver tempo para mais algumas frases.

- É sério, Ana, eu preciso disso. Não demore, eu estarei esperando o seu sinal.
avatar
Liam Mellish

Mensagens : 158
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Cameron Lahey em Qua Fev 10, 2016 12:57 am

Embora soubesse que deveria se sentir apenas sortudo por ter Florence ao seu lado, Charlie não esperava que enfrentar os olhares de praticamente todo o baile fosse ser tão complicado. Ele sentia seus ombros pesarem, experimentando pela primeira vez ser o alvo de tantas fofocas.

Por ser um dos destaques do time de quadribol, ter excelentes notas e ser monitor, Charles era conhecido por praticamente todo o castelo, mas o nível de popularidade provocado pela companhia de uma Legrand era algo assustador demais para a vida simples de um Weasley.

Era preciso se concentrar apenas na felicidade que Florence lhe proporcionava e tentar ignorar ao máximo os olhares e cochichos que os cercavam. Afinal, uma hora as pessoas precisariam entender que ele e a francesa estavam juntos e que não havia nada de anormal naquela união.

Com sorte, Florence era mesmo tão perfeita e incrível quanto Charlie sempre enfatizou, e estava conduzindo a situação com mais praticidade do que o ruivo era capaz. Sua beleza intensificada pelos sorrisos doces era a única coisa capaz de fazer a mente de Weasley esquecer completamente os comentários maliciosos e focar apenas na loira em seus braços, dizendo para si mesmo que muitos estavam apenas com inveja da felicidade estampada nos rostos dos dois.

Para Charlie, dançar era mesmo um pesadelo, e seus pés pareciam ter uma dificuldade maior em se locomover quando haviam tantos olhares voltados para eles. Embora estivesse intimamente inseguro, o grifinório exibia um semblante sereno e apaixonado, evitando que seus pés desgrudassem do chão e balançando apenas o corpo unido ao de Florence.

A chegada de Lars foi a única coisa capaz de fazer Weasley errar um movimento, pisando sem querer na ponta da sandália de Florence. Imediatamente suas bochechas adquiriram um tom mais rosado, mas ele se forçou a manter a postura reta e encarar o dinamarquês como um igual.

A resposta de Legrand, embora extremamente educada, soou como o melhor soco que Charlie jamais poderia dar em Lothringen sem levar uma detenção. Ele deslizou um dos braços pelos ombros da francesa e encarou o outro rapaz com um sorriso vitorioso, que claramente estava carregado de significados entre os dois, naquela guerra muda pelo carinho de Florence.

- É, Lothingen.... Quem sabe numa próxima vida? – Charlie piscou um olho enquanto puxava a francesa mais para perto. – Mas se quer saber, o salão está cheio de princesas esta noite, tenho certeza de que alguma delas está solteira. Florence evidentemente não está.

Ao contrário do Dinamarquês, Charles não era inteligente o suficiente para manter as palavras polidas enquanto mantinham aquele duelo de palavras na frente de Florence. Mas no fundo, Weasley não se importava mais.

- Não tenho dúvidas de que o salão está cheio de moças bonitas hoje, Weasley. – Lars enfiou as mãos nos bolsos de sua calça negra feita sob medida.

Mesmo com sua atitude arrogante, o dinamarquês também estava impecável e exibia em cada centímetro de suas roupas caras que vinha de um berço de ouro.

- Mas eu me sinto muito ofendido com esta recusa, Florie.

Era nítido como a expressão do dinamarquês se contorcia em falsidade quando ele se voltava para a francesa, mas também era sua melhor arma naquele jogo perdido.

- Apenas uma dança, sim? Como amigos. Tenho certeza que o seu namorado não vai se importar.
avatar
Cameron Lahey

Mensagens : 322
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Violet Bryant em Qua Fev 10, 2016 1:19 am

Florence lançou um olhar mais sério na direção de Charles quando o ruivo começou a provocar Lars daquela maneira. Apesar de saber que Weasley detestava o dinamarquês e que Lothringen estava sendo inconveniente com a insistência em dançar com ela naquela noite, Florence ainda não concordava em transformar aquele impasse em uma briga.

Se fosse qualquer outro rapaz, ela simplesmente aceitaria a proposta e compartilharia uma dança com um amigo antes de retornar para os braços do namorado. Mas o fato de ser Lars agravava a situação e tornava aquela solução indisponível. Charles odiava o dinamarquês e certamente não concordaria com aquela dança, mesmo Florence jurando que Lothringen não era nada além que um amigo.

Para Florence, era absurdamente difícil dizer não. Ainda mais para Lars, que, apesar de toda a falsidade, vinha se comportando como um bom amigo e nunca dera motivos para que a francesa duvidasse de suas boas intenções.

Por outro lado, ceder a aquele convite magoaria Charlie e poderia fazer com que os dois brigassem novamente. E, definitivamente, a última coisa que Legrand queria era estragar o momento mágico que vivia com o namorado.

- Não se sinta ofendido, Lars. Você sabe que eu gosto de você, você é um ótimo amigo.

A loira suspirou enquanto entrelaçava seus dedos aos de Charlie como se, com este gesto, ela quisesse reforçar para o ruivo que era com ele que ela pretendia ficar naquela noite.

- Exatamente por ser um bom amigo, eu espero que você entenda a minha negativa. Você mesmo já repetiu tantas vezes que não queria ter causado o meu desentendimento com o Charlie, não é? Acho que chegou a hora de você provar a ele que as suas intenções são as melhores.

Mesmo sem articular maldosamente as palavras, Florence conseguiu acuar Lars contra a parede. O dinamarquês se viu sem saída quando entendeu que, se continuasse insistindo, a francesa finalmente notaria que os sentimentos dele não eram tão nobres assim. A única coisa que Lars pôde fazer foi tentar estragar a felicidade do casal implantando um pequeno fantasma na cabeça de Florence.

- O seu namorado é quem dá as ordens na sua vida agora, Florie? – Lars ergueu as sobrancelhas, fingindo estar chateado – Não vai demorar para que ele te proíba de ter amigos, então. Eu realmente lamento muito por isso.

Legrand se colocou diante de Charlie enquanto Lars se afastava para impedir que o ruivo tentasse seguir os passos dele. Com um olhar sério, Florence pousou as mãos no peito firme do namorado antes de sussurrar.

- Chega, Charlie. Eu disse não, ele foi embora. Pronto, está resolvido. Não estrague a noite, por favor. Está tudo tão perfeito!
avatar
Violet Bryant

Mensagens : 91
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Anastasia Legrand em Qua Fev 10, 2016 1:26 am

Ao ouvir a declaração de que Oliver queria um beijo seu, Anastasia chegou a inclinar o rosto alguns centímetros para frente e, ao perceber que aquilo não poderia acontecer ali, na frente de todos, ela mordeu o lábio inferior, tentando controlar a frustração que se espalhou pelo seu corpo.

Com um suspiro, ela apenas concordou com um movimento da cabeça enquanto Oliver se afastava, se concentrando na difícil tarefa de se desvencilhar de Alaric o quanto antes.

Embora soubesse como ser uma pessoa extremamente desagradável, Saltzman parecia disposto a aguentar até mesmo o pior humor de Anastasia para permanecer ao seu lado durante toda a festa.

Mesmo quando a música orquestrada acabou e deu lugar ao som agitado que os adolescentes tanto gostavam, Legrand se recusou a voltar para a pista de dança e assumiu uma das mesas junto com Saltzman e outros alunos da grifinória, exibindo um semblante entediado na esperança de que aquilo desanimasse o rapaz.

Honrado demais em estar acompanhado da campeã da Beauxbatoms, Alaric não media esforços e sorrisos, tentando passar a imagem para os colegas de que estava se divertindo, mesmo que sua acompanhante não participasse daquela encenação.

O grifinório e os demais integrantes da mesa estavam envolvidos em uma conversa sobre quadribol enquanto os olhos de Anastasia passeavam pelo salão, a procura de Wood, e ela apenas relaxou em seu lugar quando o encontrou perto da mesa de doces com Nymphadora.

- Eu vou pegar uma bebida.

Ana se colocou de pé em um sobressalto, obrigando Saltzman a interromper sua narração sobre uma jogada, e a mão ainda parada no ar enquanto gesticulava, ele também levantou, imitando o gesto da francesa quase como se fosse sua sombra.

- Eu pego para você!

- Não! – A resposta da francesa foi tão alta e seca que alguns dos amigos de Alaric se viraram para encará-la, mas nem aquilo foi capaz de intimidá-la. – Por Merlin, Alaric, eu enfrentei um dragão! Acho que sou capaz de pegar minha própria bebida.

- Eu só estava tentando ser gentil, Ana.

Com uma expressão dividida se deveria seguir sua intuição de pegar a bebida para a acompanhante ou obedecê-la, Alaric se sentou, receoso, sem desviar o olhar da loira. Pela primeira vez, Anastasia se sentiu mal por ser rude com alguém, mas a ansiedade em ficar sozinha com Oliver era maior do que aquela repentina piedade.

- Seja gentil em me esperar aqui então, está bem? – Ela suavizou a voz e o tocou no ombro, lançando um sorriso mais amigável. – Trago a sua bebida, o que acha? Suco de abóbora?

Parecendo convencido com aquela súbita mudança, Alaric confirmou com um movimento da cabeça e puxou a mão de Ana antes que ela se afastasse. Mais uma vez, ele se colocou de pé e depositou um beijo no canto dos lábios da francesa.

- Suco de abóbora. – Ele confirmou, voltando a assumir seu lugar com o sorriso vitorioso nos lábios.

Quando se colocou de costas para a mesa, Legrand revirou os olhos entediada e se encaminhou até a mesa de bebidas, sem a menor intenção de voltar com o suco de Alaric. Ela serviu o próprio copo antes de procurar por Oliver mais uma vez. Não foi difícil que os olhares se cruzassem, e em um movimento quase imperceptível, a francesa inclinou com a cabeça para a porta lateral do salão, saindo discretamente logo em seguida.
avatar
Anastasia Legrand

Mensagens : 57
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Liam Mellish em Qua Fev 10, 2016 1:53 am

Como Wood já imaginava, a companhia de Tonks era o bastante para que aquela festa se tornasse animada. A amiga podia ser um fiasco na pista de dança, mas era inegavelmente divertido compartilhar os comentários bem humorados da lufana ou acompanhá-la infinitas vezes até a mesa de doces.

Embora estivesse se divertindo muito com Nymphadora, os olhos de Oliver insistentemente buscavam pela francesa acomodada na mesa dos grifinórios. Wood sabia que Anastasia precisava de uma boa desculpa para se livrar do acompanhante por alguns minutos, mas a ansiedade de Oliver não lhe dava a paciência necessária para esperar pelo melhor momento.

- Você é discreto como um trasgo com diarreia, Wood. – Tonks comentou com a boca cheia de doces – Não sei como o Alaric ainda não percebeu que você não tira os olhos da garota dele.

O comentário de Tonks foi feito com o único intuito de provocar o amigo e, portanto, ela abriu um sorriso satisfeito quando Wood a encarou, já roxo de raiva.

- Ela não é a garota dele! Ela é a MINHA garota!

- Ui, possessivo.

- Vai se ferrar, Tonks! – Oliver curvou os lábios num biquinho emburrado.

- Ela saiu da mesa. Olhe discretam... – Nymphadora se calou e deu um tapa na própria testa quando Wood se virou abruptamente, ignorando o conselho dela – Ou se vire de uma vez, como um grande idiota indiscreto!

Ignorando os resmungos da acompanhante, Oliver abriu um meio sorriso para a francesa e seguiu com o olhar a direção indicada por ela. O salão estava lotado e era arriscado demais que os dois tentassem ficar juntos naquele momento, mas Wood pretendia assumir este risco. Principalmente porque o rapaz tinha a nítida impressão de que enlouqueceria se ficasse mais dez minutos longe de Anastasia.

- Não vai esperar pelo menos uns cinco minutos antes de ir atrás dela? – Tonks agarrou o braço do amigo quando Wood tentou dar o primeiro passo.

- Eu já esperei!

- Aham. Esperou tipo uns dez segundos. Perfeito, Wood.

Apesar do protesto de Tonks, Oliver não conseguiu esperar nem um minuto inteiro antes de seguir os passos de Legrand. Seu coração saltitava dentro do peito quando o campeão de Hogwarts se misturou aos convidados do baile e conduziu seus passos na direção da porta lateral do salão.

A porta dava entrada para um pequeno pátio, que naquela noite não estava muito bem iluminado. Oliver ergueu as sobrancelhas quando percebeu que vários casais já tinham tido a mesma ideia de fugirem para aquele local. Mas, por sorte, todos estavam concentrados demais em seus respectivos acompanhantes e ninguém notou quando uma mãozinha delicada puxou Wood para trás de uma pilastra.

Mesmo parcialmente escondida pelas sombras, Anastasia continuava linda. Oliver colou seu corpo no dela e sussurrou enquanto se inclinava na direção dos lábios que ele cobiçara a noite toda.

- Você demorou demais, Ana!
avatar
Liam Mellish

Mensagens : 158
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Cameron Lahey em Qua Fev 10, 2016 2:23 am

Mesmo sendo um rapaz extremamente inteligente e com notas altas, quando era movido pelo sentimento, Charles conseguia deixar a razão de lado e permitir que o sangue quente dos Weasley corresse em suas veias como combustível para problemas.

Ele chegou a dar um passo na direção de Lars diante da provocação do dinamarquês e o acompanhou com os olhos enquanto se afastava, os músculos do corpo tensos e o rosto contorcido em uma careta de nítido desagrado.

Apenas Florence tinha o poder de colocá-lo novamente com os pés no chão, fazendo com que seus ombros relaxassem aos poucos. Em um fio de consciência, o grifinório disse a si mesmo que aquele era o único objetivo de Lothringen, conseguir tirá-lo do sério e estragar a noite perfeita que ele e Legrand ainda tinham pela frente.

Foi preciso respirar fundo várias vezes, e com o semblante ainda fechado, o ruivo buscou os olhos azuis da francesa a procura de um conforto.

- Desculpe, Flor. Eu apenas não consigo entender como você não enxerga o imbecil que esse cara é!

Com as mãos grandes, Charles esfregou o rosto, procurando manter a calma, e quanto voltou a encontrar os olhos azuis de Florence, estava um pouco mais calmo, embora ainda abalado com o comentário de Lars.

- Ele faz de tudo para virar você contra mim. Não sei se ele simplesmente quer tornar a minha vida um inferno ou se realmente gosta de você, de uma forma ou de outra, a presença dele não é bem-vinda!

Ao perceber que começava a gesticular exageradamente, Weasley baixou os olhos enquanto afagava uma das mechas loiras, puxando Florence de encontro ao seu peito. Ele depositou um breve beijo no topo da cabeça dela enquanto a abraçava, em um pedido mudo de desculpas.

Mesmo baixinha, a francesa se encaixava com perfeição nos braços de Charlie. A cabeça dela acabava exatamente sob seu queixo e os braços delicados o rodeavam pelo tronco, entrando sob medida em seu peito e entre seus braços.

- Desculpe. – Ele sussurrou mais uma vez, lançando um sorriso fraco para ela. – Nada vai estragar a nossa noite. Você está linda demais para não ter o baile mais perfeito que merece.

Com uma expressão mais suave, Charles alargou o sorriso e segurou o queixo de Florence, inclinando o rosto dela para encará-lo.

- Por este motivo, não vou obriga-la a voltar para a pista de dança comigo. Podemos pegar algumas sobremesas ou roubar algumas bebidas da mesa dos professores. Ouvi dizer que o professor Flitiwick derrubou algumas doses de hidromel no ponche da mesa deles.

O tom descontraído lembrava o velho Charles Weasley, tão relaxado e a vontade com a própria situação financeira e a família desengonçada que ele tanto amava, sem se envergonhar de suas origens por não ser bom o bastante.

Afinal, apesar de todos os problemas, Florence ainda estava em seus braços, independente da quantidade de ouro em sua conta no Gringots. A francesa já havia dado todos os sinais de que ele era bom o bastante, e não seria Lars que estragaria a noite dos dois.
avatar
Cameron Lahey

Mensagens : 322
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Violet Bryant em Qua Fev 10, 2016 3:08 am

Para grande alívio de Florence, o relacionamento dela com Charlie Weasley deixou de ser o principal assunto do castelo no dia seguinte, quando todas as energias se voltaram para a segunda prova do Torneio Tribruxo. É claro que olhares curiosos ainda acompanhavam os dois pelos corredores, mas todos pareciam mais interessados no espetáculo que estava por vir.

E, mais uma vez, o torneio não desapontou os jovens. As arquibancadas foram armadas ao redor do grande lago de Hogwarts e não houve quem não ficasse entusiasmado enquanto os três campeões batalhavam por mais uma vitória que poderia levá-los à glória no fim daquele ano letivo.

Para enorme desapontamento de Karkaroff, mais uma vez, o campeão de Durmstrang teve o pior desempenho na segunda prova. Bellamy conseguiu finalizar a tarefa no lago, mas foi o competidor que gastou mais tempo até alcançar o tesouro escondido pelos sereianos e também perdeu pontos por não saber lidar muito bem com aquelas criaturas aquáticas.

Anastasia e Wood se saíram bem, mas desta vez não terminaram empatados. A francesa foi a primeira a retornar à superfície depois de completar a missão e, por isso, finalizou a segunda prova do torneio com vinte pontos a mais que Oliver.

Como a prova final daria cinquenta pontos ao vencedor, todos os três ainda tinham chances matemáticas de vencer. Bellamy precisaria ter um desempenho absolutamente perfeito para compensar os fiascos das primeiras provas, além de torcer para que os adversários se saíssem muito mal, mas ele ainda parecia ter esperanças. Já Wood e Legrand eram os donos das maiores apostas. A loira estava alguns pontos na frente, mas isso não lhe daria tantas vantagens na prova final se ela tropeçasse ou se Oliver se destacasse na tarefa.

Nas semanas seguintes, Hogwarts parecia respirar o Torneio Tribruxo. Os professores simplesmente não conseguiam fazer com que os alunos se concentrassem nas aulas, todos estavam envolvidos demais nas teorias sobre a terceira prova, sobre quem sairia vencedor, sobre o desejado prêmio da competição.

Florence bem que tentou se manter afastada de toda aquela confusão e se concentrar nos estudos e em Charlie, mas aquela determinação só durou até a última semana antes do final do torneio. A energia da competição acabou envolvendo a francesa e, quando o grande dia finalmente chegou, Florence estava animadíssima com a prova e disposta a torcer loucamente pela vitória da irmã gêmea.

Como o evento havia se tornado grandioso, Dumbledore abriu as portas de Hogwarts para que as famílias dos alunos pudessem participar da final da competição. Portanto, havia muitos mais níveis nas arquibancadas completamente lotadas naquela manhã. Praticamente todas as famílias britânicas aceitaram o convite e ocupavam seus lugares naquela animada plateia. Alguns estrangeiros também estavam presentes, mas em menor número.

Como Anastasia era a protagonista do evento, é claro que os pais da garota apareceram no castelo. A presença do Ministro da Magia francês também era esperada, mas o avô das meninas teve um compromisso de última hora e precisou continuar na França. Contudo, a presença do casal Legrand já era o bastante para que o evento recebesse ainda mais prestígio e atenção da mídia.

As arquibancadas estavam completamente lotadas quando Florence chegou à arena acompanhada por Dumbledore, que fizera questão de guiar os Legrand pessoalmente até o ponto onde seria realizada a terceira prova do torneio.

A loira usava o seu tradicional uniforme de Beauxbatons, inclusive com o delicado chapéu azul encaixado sobre os cabelos claros. O Sr. Legrand era um homem bem mais baixo que Dumbledore e com a barriga discretamente roliça. Suas roupas caras e o pesado relógio de ouro mostravam que o homem possuía uma grande fortuna. Era fácil notar que as gêmeas tinham herdado a beleza da mãe. A Sra. Legrand era uma versão madura das filhas, com seus traços delicados, os cabelos loiros presos num coque e um vestido de muito bom gosto realçando suas curvas.

O queixo da garota caiu diante do enorme labirinto que se erguia diante de seus olhos e o arrepio foi inevitável ao imaginar que, em poucos minutos, Anastasia enfrentaria os perigos guardados naquelas paredes folhadas. Ana já dera várias provas de que sabia se defender sozinha, mas a preocupação de Florence era inevitável.

- Ela vai ganhar. – o Sr. Legrand afirmou com convicção ao notar o olhar assustado da filha – A Ana sempre vence, você sabe disso, Flor.

Embora não compartilhasse da mesma segurança, Florence forçou um sorriso e concordou com um movimento de cabeça.

Como já vinha se tornando um hábito, os olhos azuis buscaram por Charlie no meio da multidão. Só ele seria capaz de acalmá-la um pouco naquele momento.

Ao invés de encontrar uma cabeça ruiva nas arquibancadas, Florence se surpreendeu ao avistar várias delas agrupadas no mesmo ponto, num dos patamares mais altos. Um sorriso surgiu nos lábios da francesa quando ela se lembrou do quão numerosa era a família Weasley.

O sorriso de Florence se alargou ainda mais quando ela reconheceu Charlie no meio daquela coleção de ruivos. Sem nenhum constrangimento, a francesa acenou para o namorado. Aquele gesto atraiu a atenção do Sr. Legrand, que desviou o olhar para aquele ponto das arquibancadas. Apesar de seu imenso desagrado com aquele namoro, o homem manteve as aparências e moveu a cabeça num cumprimento polido. Aquele namoro estava com os dias contados, mas, por enquanto, Legrand preferia fingir que não se importava em ver a filha envolvida com um simples “Weasley”.

Quando avistou a loira que acenava para Charlie na tribuna de honra, Bill soltou um palavrão que lhe rendeu um potente tapa na cabeça.

- Ai, manhê!!!

- Eu posso aceitar o brinco e os cabelos compridos! Mas não esta boca suja!

- Foi mal, eu não consegui me segurar. – Bill lançou um olhar surpreso para Charles e balançou a cabeça positivamente – Cara, até hoje eu duvidava que ela fosse tão bonita quanto você descrevia. Que tal me passar a fórmula da poção do amor que você usou!? Essa é das boas!
avatar
Violet Bryant

Mensagens : 91
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Anastasia Legrand em Qua Fev 10, 2016 3:26 am

Anastasia estava longe de ser a menina delicada que suspirava pelos cantos por causa de um rapaz. Mas qualquer um seria capaz de identificar o sorriso apaixonado que ela abriu quando puxou Oliver Wood para o canto, finalmente saciando o desejo de beijá-lo.

- Aquele idiota não parava de falar.... Mas eu logo mostrei para ele quem é Anastasia Legrand.

O sorriso convencido brincou em seus lábios inchados enquanto Ana envolvia Oliver com seus braços. Aquele não era o lugar mais adequado para um casal se encontrar em segredo, mas eles provavelmente passariam apenas por mais um dos muitos que estavam ali aos beijos, passando desapercebidos aos olhos de curiosos.

Legrand tomou a iniciativa de mais um demorado beijo, inclinando o corpo para trás enquanto afundava seus dedos nos cabelos castanhos de Wood. Era notável como Anastasia se derretia nos braços do goleiro, deixando de lado a figura prepotente e independente que ela gostava de passar, para ser apenas uma menina apaixonada.

Voltar para o baile após poucos minutos de carícia foi uma tortura, mas era um risco grande demais continuar no pátio aos beijos quando os dois eram destaques na festa que acontecia dentro do castelo.

Os dias que se passaram, apesar de corridos com a proximidade do fim do torneio, estavam sendo como um sonho para Anastasia.

A segunda tarefa, assim como haviam desvendado pelo ovo, exigia que o participante mergulhasse nas águas negras do lago para recuperar um tesouro. Legrand adotou um feitiço que criava uma bolsa de oxigênio diante de seu nariz e boca, permitindo que ela respirasse sem dificuldades no fundo do lago.

Logo ela descobriu que o tesouro que precisava recuperar, nada mais era que Florence, adormecida e presa junto com Nymphadora e Katia, a acompanhante de Bellamy na noite do baile.

Apesar de ter levado quase todo o tempo da prova para encontrar Flor e leva-la de volta a superfície, Anastasia havia se saído bem na prova, conquistando uma excelente pontuação.

Logo, a empolgação pela prova final encheu o castelo e poucos acreditavam que Bellamy fosse acabar conquistando a taça para a Durmstrang. Os alunos já se dividiam praticamente entre Wood e Legrand, assumindo lado opostos, sem imaginar que os dois participantes se encontravam quase diariamente em salas vazias.

Mesmo com o temperamento difícil de Anastasia, o relacionamento com Oliver não poderia estar em situação melhor. A felicidade causada pelo seu ótimo desempenho na segunda tarefa e a taça do torneio que se tornava cada vez mais real e ao alcance de suas mãos facilitava o bom humor da francesa, que raramente encontrava motivos para provocar o namorado, se não fosse apenas por pura implicância.

Enquanto todos se preparavam para assistir a última tarefa daquele torneio, dois dos campeões estavam trancafiados em uma das salas do primeiro andar, trocando beijos intensos antes de encerrar aquele desafio que finalmente escolheria um único campeão.

Anastasia já tinha os lábios inchados e vermelhos quando empurrou Oliver pelo peito, o suficiente para que a distância lhe permitisse ter o mínimo de autocontrole.

- Me promete que nada vai mudar? – Ela sussurrou, enquanto seus olhos passeavam pela boca desenhada de Wood, quase perdendo o raciocínio diante do desejo de voltar a beijá-lo. – Não interessa quem vencer hoje. Nada vai mudar, está bem?

Embora falasse com Oliver, no fundo Legrand sabia que aquelas palavras serviam muito mais para ela. Como não estava acostumada a lidar com derrotas, ela temia pela reação que poderia ter caso a taça do torneio fosse parar nas mãos do campeão de Hogwarts.

O tempo passado ao lado de Wood era suficiente para que a vitória não fosse mais sua prioridade, mas ganhar era um hábito de anos que ainda poderia vir assombrá-la.

Ana ajeitou o próprio uniforme azulado, apenas para amarrota-lo mais uma vez antes de se jogar nos braços de Wood pela quinta vez, em mais uma tentativa fracassada de se despedir dele.

- Um beijo de boa sorte!

Ela apoiou as duas mãos nos ombros de Wood e sorriu bobamente, os cabelos loiros já bagunçados pelos longos minutos de beijos e abraços.

- Apenas tente sair vivo, está bem, Wood?

Com o sorriso convencido de sempre, Ana depositou um beijo estalado na bochecha de Oliver antes de deixar a sala a caminho da última prova.
avatar
Anastasia Legrand

Mensagens : 57
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Liam Mellish em Qua Fev 10, 2016 12:03 pm

Quando o grande dia finalmente chegou, Oliver surpreendeu-se consigo mesmo ao notar o quanto estava absolutamente tranquilo. Quando o seu nome saiu do Cálice de Fogo quase um ano atrás, Wood jamais imaginou que enfrentaria a prova final do torneio com tamanha serenidade.

Seu desempenho nas provas anteriores era a principal razão para tanta tranquilidade. Wood tivera uma performance perfeita diante da prova dos dragões e também se saíra muito bem no lago com os sereianos. Tudo o que ele precisava fazer agora era repetir o bom desempenho e sua missão seria cumprida. Ao contrário de Bellamy e Anastasia, Oliver nunca objetivou unicamente o troféu da competição. Seu maior propósito com o Torneio Tribruxo já fora alcançado com as dezenas de publicações da imprensa que noticiaram o excelente desempenho do representante de Hogwarts.

A tranquilidade de Wood era tão grande naquele dia que, enquanto todos ocupavam seus lugares nas arquibancadas e se corroíam de ansiedade pelo desafio que estava por vir, o campeão de Hogwarts estava trancado numa das salas do primeiro andar, acompanhado pela adversária de Beauxbatons.

Os dois protagonizavam um beijo intenso, quase sufocante. As mãos de Oliver deslizavam livremente pelo corpo da francesa, refazendo as curvas delicadas que ele já conhecia muito bem depois de compartilhar com ela vários encontros proibidos como aquele nos últimos meses.

Quando as mãos da loira empurraram o peito dele e interromperam o beijo, Oliver já esperava pelas palavras que viriam a seguir. Por isso, um sorriso divertido surgiu nos lábios inchados dele antes mesmo que Anastasia terminasse de fazer aquele pedido.

Ao contrário dele, Anastasia valorizava muito aquela vitória. Fazia parte da natureza dela buscar sempre o melhor desempenho e Oliver não a julgaria por isso. É claro que Wood não pretendia facilitar a prova para a namorada, até porque sabia que Legrand jamais ficaria feliz com uma vitória desmerecida. Mas ele não se sentiria nem um pouco chateado se o troféu terminasse nas mãos dela.

- Nada vai mudar.

Wood atendeu ao pedido da loira, repetindo as palavras que ela precisava ouvir. Era óbvio que Anastasia precisava muito mais daquela certeza do que ele, mas Oliver não negou aquela promessa à francesa.

- Independente do que acontecer hoje, eu estarei esperando por você na nossa sala esta noite.

Os encontros proibidos entre os dois campeões tribruxos tinham se tornado tão frequentes nos últimos meses que Oliver já se referia à sala abandonada na qual eles se escondiam como “a nossa sala”.

Quando Anastasia tentou se despedir, mas acabou retornando para os braços dele pela quinta vez, Wood soltou uma risada anasalada enquanto a enlaçava firmemente pela cintura. O sorriso bobo de Legrand se repetiu nos lábios do grifinório quando ele recebeu aquele beijo e suas palavras soaram num sussurro.

- Boa sorte. – Oliver repetiu a frase que dissera desde o começo da competição – Que vença o melhor, Legrand.

(...)

Com apenas alguns poucos minutos de atraso – para desespero de Minerva McGonnagal – Oliver chegou à arena onde estava montada a última prova do Torneio Tribruxo. A diretora da Grifinória perdeu alguns segundos ralhando com o representante de Hogwarts antes de fazer um sinal positivo para Albus Dumbledore.

O diretor de Hogwarts levou a varinha até a garganta e sua voz amplificada foi o bastante para calar as arquibancadas eufóricas. Como todos já esperavam, Dumbledore fez um longo discurso de agradecimento a todos os presentes, reforçou a honra de ter abrigado os estrangeiros em Hogwarts naquele ano e até tentou pontuar que as três escolas já eram campeãs por aquela participação, mas é claro que a plateia não se deixou contagiar pelo discurso amistoso. Todos estavam ali porque, por mais que os três jovens fossem excelentes bruxos, apenas um deles se consagraria campeão.

Quando Dumbledore anunciou os três competidores e os campeões entraram no palco principal da arena, os aplausos e gritos se tornaram ensurdecedores. Sem dúvida, a maior torcida era para Oliver já que o competidor de Hogwarts estava em casa. Mas os gritos para Anastasia também não foram desprezíveis.

O enorme labirinto não intimidou Oliver. Os olhos azuis do rapaz encararam as paredes folhadas com mais curiosidade do que receio. Certamente não seria um desafio simples, mas como não possuía a obrigatoriedade de vencer, Wood encararia a prova com uma serenidade que os outros dois competidores não possuíam.

As roupas selecionadas por Wood eram bastante adequadas para a situação. Nos pés, o rapaz usava um par de coturnos confortável que permitiria que ele corresse e que enfrentasse terrenos mais íngremes. Naquele dia, a pedido de Dumbledore, Oliver não usava as cores da Grifinória, já que representaria não só a casa dos leões, mas todo o castelo. Suas roupas eram idênticas ao típico uniforme de quadribol, mas ao invés do vermelho e dourado, o tecido era preto e continha o brasão de Hogwarts, com as quatro casas representadas.

Depois de finalizar o discurso, Dumbledore afastou a varinha do próprio pescoço e se voltou para os três competidores, dirigindo aquelas palavras apenas a eles.

- O objetivo deste desafio talvez seja o mais simples até então. No centro do labirinto está o troféu tribruxo. O primeiro a tocar nele será o campeão.

Antes que os jovens pudessem pensar que a prova final do torneio seria simples, Albus os alertou com um semblante mais sério.

- A questão é que o labirinto tem como missão evitar que vocês alcancem o troféu. Sejam cuidadosos e estejam preparados para enfrentar todos os obstáculos que surgirem pelo caminho. E mais do que coragem, vocês precisarão de serenidade para não perderem a cabeça. A regra das faíscas vermelhas continua valendo, caso algum dos senhores queira desistir.

Depois de reforçadas as orientações, Albus voltou a usar a varinha para amplificar a voz.

- Conforme as regras da competição, os campeões entrarão no labirinto na ordem da pontuação obtida nas provas anteriores. Portanto, a Srta. Legrand será a primeira, seguida pelo Sr. Wood e finalmente pelo Sr. Bellamy.

Os três jovens se colocaram diante de uma das paredes do labirinto e, em poucos segundos, as folhas começaram a se mexer até que uma abertura surgisse. Conforme as regras, Anastasia foi a primeira a entrar. Embora estivesse calmo, Wood sentiu um frio na barriga ao ver a namorada desaparecendo enquanto as folhas ocultavam aquela entrada.

O último vulto que Oliver conseguiu ver entre as folhagens mostrava que Legrand havia seguido para a direita. Portanto, quando o labirinto se abriu novamente para o britânico, ele estava decidido a ir para a esquerda. Não fazia sentido seguir um caminho no qual a francesa já tinha uma boa dianteira. A única chance de ganhar de Anastasia era torcer para que a sorte estivesse contra ela naquele dia.
avatar
Liam Mellish

Mensagens : 158
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Anastasia Legrand em Qua Fev 10, 2016 1:48 pm

As paredes folhadas do labirinto eram enormes e Anastasia precisava girar o pescoço para cima para conseguir enxergar o topo. A passagem aberta para que ela entrasse no labirinto logo foi fechada e a francesa respirou fundo, analisando a posição do sol antes de seguir seu caminho.

Por sorte, não havia sinal de nuvens naquele dia, o que facilitaria a francesa de seguir a posição do sol para não dar voltas pelo mesmo lugar. O uniforme da Beauxbatoms em um modelo mais confortável facilitava que ela corresse, tentando abrir o máximo de vantagem possível dos demais competidores.

Os olhos azuis estavam arregalados e atentos a qualquer movimento, mas por longos minutos, Lestrange apenas correu pelos infinitos corredores cercados de folhagem verde. O coração acelerado era provocado muito mais pela ansiedade do que pelo esforço físico.

Ao chegar diante de uma bifurcação, Ana consultou mais uma vez a posição do sol, constatando que o tempo estava passando mais rápido do que ela desejava. Sentindo-se pressionada com a luz que se encaminhava para o horizonte, ela escolheu aleatoriamente a direção que deveria seguir.

Mal deu o primeiro passo quando sentiu algo rodear seu tornozelo, pressionando-o com força e fazendo com que ela tombasse de cara no chão. A varinha firme em seus dedos quase escorregou, mas a francesa foi hábil o suficiente para logo aponta-la na direção do que quer que fosse que estivesse lhe atacando.

De dentro das paredes, um galho de visgo do diabo saía como uma serpente ardilosa e se enroscava mais em sua perna, subindo pelo tornozelo e rodeando até quase o joelho. Quanto mais Ana tentava se debater, mais forte o visgo a apertava, deixando a perna dormente e impossível de mexer.

Com a mão trêmula e os movimentos prejudicados, Anastasia apontou para a própria perna antes de lançar o feitiço não-verbal, fazendo com que uma forte luz saísse da ponta da varinha. Assustado com a luminosidade, o visgo se encolheu imediatamente, e mesmo com dificuldade, Ana se colocou de pé, voltando a correr mancando de uma perna.

Apenas quando estava há metros de distância, ela parou de correr, apoiando as mãos sobre os joelhos e respirando fundo, tentando normalizar as batidas do coração. Seu rosto já estava suado e com marcas de sujeira na testa e bochecha. O uniforme inteiro estava sujo, provocado pela queda, e além do pé direito, Anastasia também sentia o cotovelo arder, ralado com o choque.

- Poderia ser pior... – Ela resmungou para si mesma enquanto buscava uma saída com os olhos azuis. – Poderia ser a droga de um dragão carnívoro.

Embora o desafio fosse muito mais simples do que as duas primeiras tarefas, logo Anastasia compreendeu que exigia mais dela do que o torneio todo até então. Quando enfrentou um dragão, era apenas um único obstáculo que tinha em frente. E havia uma pista para que ela pudesse se preparar para o desafio do lago.

No labirinto, Legrand precisou enfrentar diversas situações diferentes, que exigiam um raciocínio rápido e a habilidade em magia. O visgo foi apenas a ponta de seus problemas. As paredes do labirinto se mexiam vez ou outra, modificando o caminho, e ela quase desmaiou quando topou com um filhote de mandrágora enraizado em uma das paredes.

Com os dedos tampando os ouvidos e o corpo enfraquecendo com o gritinho da planta, ela precisou se esforçar para mudar a direção de seu caminho. Ainda estava pálida quando se deparou com um trasgo tão alto que quase alcançava o topo das paredes. Mais uma vez, ela conseguiu enfrentar o obstáculo, mas não sem sair inteiramente ilesa. Um pequeno corte em seu supercílio ardia quando ela passou pelo corpo desacordado do trasgo, descendo um filete de sangue que manchava o rosto branco.

O corpo de Anastasia tremia por inteiro, e ela estava preparada para enfrentar outras criaturas quando um pequeno brilho chamou sua atenção em um dos corredores. Com receio de que fosse apenas mais uma armadilha, ela se aproximou com cautela, olhando para cada centímetro do chão em que pisava, a varinha erguida diante do rosto.

Quando ela finalmente alcançou o centro do labirinto e se viu diante do enorme troféu, Anastasia não conseguia acreditar que havia finalmente acabado. Mesmo com as dores no corpo e o cheiro de suor de sua pele e cabelos, ela abriu um largo sorriso diante daquela vitória finalmente conquistada.

Ser a campeã do torneio sempre havia sido seu objetivo, mas finalmente ter a taça em mãos era ainda mais maravilhoso. Podia ver seus pais vibrando de orgulho nas arquibancadas e como Madame Maxime lhe abraçaria por levar aquela vitória para a escola francesa.

Antes que Ana desse mais um passo na direção de seu objetivo, algo chamou sua atenção em sua visão periférica e a varinha foi girada, pronta para atacar, quando ela identificou o rosto de Oliver Wood.

O alívio por não ser mais um obstáculo imposto pelo labirinto só durou até que sua mente concluísse que Oliver poderia alcançar o troféu antes dela. A distância dos dois até o fim daquele desafio era a mesma, mas por mais competente que Anastasia fosse, Wood ainda era um atleta e teria vantagens óbvias diante daquele obstáculo tão ridículo.

- Hey Wood... – Ana o cumprimentou com seu típico sorriso superior, embora agora os olhos também carregassem um quê de diversão. – Sabe quando você vai conseguir ter esse troféu na sua casa? O dia que se casar comigo.

A brincadeira referente a frase que ele mesmo dissera na beira do lago foi deixada no ar quando Anastasia correu na direção do troféu. Apesar de estar com os olhos fixos na premiação daquele torneio, ela podia ver que Wood também havia se lançado na mesma direção.

Foi o grito de Oliver que fez com que Legrand virasse o rosto para encará-lo, apenas para vê-lo caído no chão. Um novo visgo do diabo havia saído de uma das paredes e enrocado nas pernas de Oliver, puxando-o para longe do principal objetivo.

Ana parou de correr imediatamente e precisou de meio segundo antes de decidir voltar na direção do namorado. Só então ela percebeu que todo o chão ao redor do troféu começava a ser coberto pro visgo do diabo e recuou alguns passos quando alguns galhos tentaram agarrá-la também.
avatar
Anastasia Legrand

Mensagens : 57
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Liam Mellish em Qua Fev 10, 2016 2:36 pm

Quando uma pequena explosão ecoou no céu limpo de Hogwarts, todos os expectadores soltaram exclamações. As faíscas vermelhas se destacaram no azul daquela manhã ensolarada, anunciando a desistência de um dos três competidores.

De dentro do labirinto, Wood conseguiu avistar as faíscas e sentiu um incômodo aperto no peito. Teria sido Anastasia? O grifinório a conhecia o suficiente para saber que a namorada só desistiria daquela vitória se estivesse seriamente ferida e esta certeza foi o bastante para deixá-lo angustiado.

Apesar da preocupação, Oliver decidiu seguir em frente. Quanto mais cedo chegasse ao troféu, mais cedo ele se veria livre daquele labirinto e descobriria se estava tudo bem com a francesa.

Do lado de fora do labirinto, os diretores chamaram por Madame Pomfrey no instante em que descobriram a razão da desistência de Bellamy. A plateia ficou chocada quando o representante de Durmstrang reapareceu com uma das pernas quebrada depois de uma luta mal sucedida com um trasgo. O esforço de Bellamy foi reconhecido com palmas, mas Karkaroff se afastou resmungando, inconsolável com mais aquela derrota.

Mesmo sem saber quem era o seu único adversário naquela prova, Oliver tentou manter a concentração e, assim como Anastasia, enfrentou diversas dificuldades pelo caminho.

Depois de passar por um bando de diabretes, por um ouriço gigante e por um bicho-papão – que se transformou na imagem de Anastasia gravemente ferida – Wood ainda precisou enfrentar as charadas de uma esfinge. Isso sem mencionar as diversas vezes em que as paredes do labirinto se moveram e obrigaram o rapaz a mudar rapidamente o seu caminho para não ser esmagado.

Portanto, Wood também estava longe de parecer inteiro quando avistou a luz azulada no centro do labirinto. Seu uniforme de Hogwarts estava rasgado em diversos pontos, os cabelos suados estavam mais atrapalhados do que nunca e o rapaz exibia profundos arranhões nos braços e no rosto.

Apesar disso, Oliver conseguiu abrir um largo sorriso quando escutou a voz de Anastasia. A provocação dela arrancou uma risada do britânico e os dois se encararam por um segundo antes de voltarem a atenção para o desejado troféu. Praticamente no mesmo instante, os dois jovens dispararam numa corrida desenfreada na direção da vitória, trocando olhares e risadas enquanto tentavam ultrapassar o outro.

A vantagem de Wood era inquestionável naquelas circunstâncias. O rapaz era maior, mais forte, tinha as pernas mais compridas e o fôlego de um atleta profissional. E, de fato, não demorou para que Oliver já estivesse alguns centímetros na frente de Anastasia, cada vez mais perto do troféu.

Quando o visgo do diabo começou a bloquear o caminho deles, Wood ainda conseguiu saltar habilidosamente sobre alguns dos galhos que tentavam pegá-lo. Mas logo o campeão de Hogwarts teve o tornozelo firmemente agarrado por um dos galhos e desabou de cara no chão, adicionando um hematoma na testa à sua lista de ferimentos obtidos naquela terceira prova.

A pancada na cabeça fez com que o mundo girasse ao redor de Oliver. Sua consciência vacilou por alguns segundos e, quando reabriu os olhos, a última coisa que Wood imaginou que veria era Anastasia parada perto dele, ignorando o troféu que esperava por ela há poucos passos de distância.

- O que você pensa que está fazendo?

A voz de Oliver soou meio rouca e só então ele percebeu que estava quase completamente imobilizado pelos galhos do visgo. Seu desempenho tinha sido excelente e Wood chegara muito perto de conquistar aquela vitória, mas aquele tropeço o transformaria no segundo colocado. E ele parecia estar absolutamente conformado com a derrota quando moveu a cabeça na direção do troféu.

- Pare de perder tempo, Ana! Ele é seu! – o rapaz tentou se mover, mas só conseguiu fazer com que o visgo o apertasse ainda mais – Eu não vou sair daqui sozinho e não serei merecedor do troféu se você me ajudar. Então vá logo, antes que o visgo tome conta de tudo!

Os olhos de Oliver giraram, mas o sorriso divertido dele denunciava o bom humor do grifinório.

- Droga. Agora eu terei mesmo que me casar com você!
avatar
Liam Mellish

Mensagens : 158
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Cameron Lahey em Qua Fev 10, 2016 4:21 pm

Com o foco de seu namoro com Florence finalmente saindo de cena, Charles finalmente tinha tempo e cabeça para aproveitar a companhia da francesa da melhor forma possível, sem serem perseguidos por olhares e fofocas inconvenientes.

Sem o peso daquela atenção em seus ombros, Weasley voltara a ser o rapaz bem-humorado por quem Legrand havia se apaixonado, ignorando completamente o abismo social que existia entre eles. Não havia fortuna no mundo que pudesse significar mais do que a felicidade que os dois sentiam um com o outro.

Com a calmaria que finalmente atingiu sua vida, Charles finalmente começava a sentir o estômago se contorcer com a proximidade do fim do ano letivo. Embora tivesse a namorada e o fim do torneio para distraí-lo, não havia um único dia que passava sem que ele pensasse que logo deixaria Hogwarts pela última vez.

Junto com a nostalgia precoce, Weasley também começava a se preocupar com a vida que teria no minuto em que deixasse os portões da escola para trás. Ao contrário de Florence, que tinha o dinheiro dos pais, Charles sabia que precisaria começar a trabalhar o quanto antes, se sentindo na obrigação de não continuar vivendo à custa do pai.

Os NIEMs haviam sido realizados alguns dias antes do fim do torneio e em breve as notas chegariam, trazendo consigo também o tipo de futuro que Weasley poderia ter. Mesmo sendo sempre um bom aluno, era impossível não sentir um frio na barriga com o receio de não ter obtido as melhores notas. Mais do que nunca, ele sentia que precisaria de um bom futuro para oferecer a Florence.

Era naquele tipo de futuro que Charles pensava enquanto as pessoas se agrupavam nas arquibancadas para assistir ao último desafio do Torneio Tribruxo. O olhar estava perdido a procura dos cabelos loiros e ele sorriu largamente quando encontrou Florence acenando em sua direção.

A gostosa sensação de felicidade que sempre surgia quando seus olhares se encontravam logo percorreu seu corpo, e mesmo diante do comentário malicioso do irmão, Charles precisou admitir que era imensamente sortudo.

Florence era, de longe, a menina mais bonita de todas as presentes naquele dia. E o sorriso doce era capaz de desarmar Charlie.

Ele passou o braço pelos ombros de Ginny, sentada entre os dois irmãos mais velhos, e cobriu os olhos dela com os dedos longos. A outra mão foi erguida mostrando o dedo do meio para Bill, o que resultou em um doloroso puxão de orelha de Molly.

- Charles Weasley!!! Não comece você também!

- Mas mãe!!!

Charlie soltou a irmã caçula para esfregar a própria orelha com uma careta de dor, mas antes que ele tivesse a oportunidade de reclamar das risadas exageradas de Bill, Dumbledore anunciou o início do desafio.

Embora todos tivessem grandes expectativas para aquele dia, era um tanto tedioso ficar sentado esperando que o campeão finalmente aparecesse diante de todos. Diferente do espetáculo com os dragões, Charlie se remexia em seu lugar, torcendo para que aquilo tivesse logo um fim e que ele pudesse novamente estar com Florence.

Por mais que torcesse pela vitória do amigo, era mais emocionante assistir dragões cuspindo fogo do que encarar o labirinto. Quando Bellamy disparou as faíscas vermelhas, encerrando sua participação no torneio, um burburinho começou a correr pela arquibancada, despertando o interesse de alguns que começavam a pegar no sono.

Charles estava começando a acreditar que nada mais aconteceria quando um forte vento começou a varrer do centro do labirinto, derrubando as altas paredes. Os cabelos ruivos foram jogados para trás e o grifinório precisou estreitar os olhos para continuar assistindo o fenômeno que acontecia.

De repente, no centro das arquibancadas, de onde havia saído horas antes, Anastasia Legrand surgiu, segurando em suas mãos um enorme troféu azul, que parecia grande demais para uma menininha como ela.

A frustração por não encontrar o campeão de Hogwarts durou apenas alguns segundos e logo Charlie saldava a campeã do torneio com os demais. A equipe francesa estava indo ao delírio, assim como Madame Maxime.

Enquanto todos os olhos estavam voltados para Anastasia, Charlie buscou Florence mais uma vez e sorriu diante da comemoração da namorada. Mesmo que seu desejo fosse a vitória de Oliver, precisava admitir que Legrand também havia merecido.

Poucos minutos se passaram quando o professor Dumbledore apareceu carregando seu campeão, que também foi saldado com uma onda de palmas.

O discurso de encerramento do velho professor foi tão grande quanto o do começo, mas as pessoas logo começaram a deixar as arquibancadas enquanto os franceses invadiam a arena para parabenizar Anastasia.

De longe, Charlie observava a cena em silêncio enquanto o casal Legrand se juntava com as duas filhas para posar em fotografias que certamente estampariam a primeira capa de vários jornais.

A diferença entre a família de Florence e a sua era gritante. A Sra. Legrand era alta, magra e elegante, tão bonita quanto as duas filhas. O Sr. Legrand era dono de uma postura segura, como se nada fosse capaz de abalá-lo. Embora a campeã da Beauxbatoms estivesse suja pelos desafios enfrentados, era nítido como os quatro se encaixavam em uma cena perfeita de família tradicional e feliz.

Discretamente, ele lançou um olhar para a própria família, sorrindo com a quantidade de cabeças vermelhas que se enfileirava. Molly estava longe de ter a elegância de Legrand, com o corpinho baixinho e roliço, os cabelos vermelhos curtos e as mãos sempre ágeis para chamar a atenção dos filhos. Os irmãos gêmeos não paravam quietos enquanto Ron, que estaria em Hogwarts no próximo setembro, olhava tudo com grande admiração.

Charlie se sentiu constrangido por, mesmo que brevemente, ter se envergonhado da própria família. Mais do que nunca, ele acreditava ter a vida perfeita, e agora além da grande família bagunçada e que o amava, ele também tinha a namorada mais linda e carinhosa que poderia sonhar.

Com aquele pensamento, ele voltou a procurar por Florence e sorriu quando seus olhos se encontraram. Com um movimento da cabeça, ele inclinou a direção do lago, onde eles já haviam combinado de se encontrar após o torneio.
avatar
Cameron Lahey

Mensagens : 322
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Anastasia Legrand em Qua Fev 10, 2016 4:43 pm

Mesmo diante do pedido de Oliver, Anastasia ainda continuou parada, sem certeza de que o certo realmente seria simplesmente pegar o troféu enquanto namorado era envolvido pelo visgo.

Seu rosto estava contorcido, refletindo a batalha travada em sua mente. Legrand não se preocupava mais em ganhar, pelo menos não enquanto Wood estava em perigo. A única coisa que motivou a francesa a seguir na direção do troféu foi a certeza de que, no instante em que ganhasse aquele desafio, o torneio chegaria ao fim e Oliver estaria novamente seguro.

Assim que suas mãos tocaram a alça da taça, Legrand sentiu um formigamento começar na ponta de seus dedos e logo ela não estava mais no centro do labirinto, e sim diante dos alunos de Hogwarts, Beauxbatoms e Durmstrang. Sua cabeça logo girou em direção ao caminho que havia começado aquele desafio e ela só sentiu os ombros relaxarem quando viu que o labirinto estava se desfazendo e Dumbledore surgia com Wood.

Finalmente livre para aproveitar aquela vitória, Anastasia ergueu o troféu na direção das colegas francesas, exibindo o seu sorriso mais orgulhoso. O peito subia e descia com rapidez, graças a respiração pesada, mas o cansaço não era capaz de minimizar aquela sensação de conquista.

Por um segundo, Ana desejou poder comemorar aquela vitória dividindo um beijo com o namorado diante de todos, mas ela sabia que os dois ainda precisariam esperar as coisas acalmarem antes de tornar público aquele relacionamento.

Após uma infinidade de fotos e de receber “parabéns” em pelo menos três línguas diferentes, de pessoas que ela nem se lembrava de ter visto antes, Anastasia finalmente se encaminhou para encarar os demais participantes do torneio.

- Sinto muito pela sua perna, Bellamy.

Apesar de serem oponentes naquele torneio, Legrand havia criado um carinho verdadeiro pelo campeão da Durmstrang. Mesmo que Karkaroff não fosse um exemplo de justiça, Bellamy era gentil e não merecia se sentir tão derrotado.

Ela se inclinou para depositar um beijo estalado na bochecha de Bellamy antes de se encaminhar para Wood, exibindo o sorrisinho superior de sempre.

- Eu tentei te avisar desde o começo, Wood... Apenas não comece a chorar como uma menininha, está bem?

Ao contrário do que havia feito com o dinamarquês, Anastasia rodeou o pescoço do campeão de Hogwarts e o abraçou, aproveitando aquela proximidade para sussurrar em seu ouvido.

- Preciso de um beijo de comemoração. Promete que vai me ver antes de irmos embora?
avatar
Anastasia Legrand

Mensagens : 57
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Violet Bryant em Qua Fev 10, 2016 4:48 pm

As garotas de Beauxbatons foram ao delírio quando o troféu surgiu diante dos seus olhos, firmemente amparado pelas mãos de Anastasia. Por mais que as colegas confiassem na capacidade de sua representante, elas só tiveram certeza da vitória de Ana quando a prova finalmente acabou.

Florence participou ativamente daquela comemoração, compartilhando uma felicidade sincera pela glória da irmã gêmea. A loira já estava rouca de tanto gritar e aplaudir quando foi conduzida até o centro da arena para participar das fotos que estampariam os jornais no dia seguinte.

Os Legrand posaram como uma família perfeita. As duas garotas ficaram no centro das fotos, rodeada pela elegância dos pais. Quando Anastasia foi arrastada para uma entrevista e os pais a acompanharam para garantir que nenhuma nota inadequada seria publicada, Florence finalmente se viu livre para comemorar com o namorado. Por mais que soubesse que Charlie estava torcendo pela vitória de Wood, Florence sabia que o ruivo não estaria infeliz com o merecido triunfo de Ana.

Conforme combinado, o casal se encontrou na beira do lago. Charlie já esperava por ela quando Florence se aproximou, saltitando de felicidade com a vitória de Beauxbatons. A loira bem que tentou se conter em respeito ao aluno de Hogwarts, mas era impossível esconder por completo aquele sorriso iluminado.

Ao notar que Weasley não estava triste e nem ficaria ofendido com a animação dela, Florence se soltou e voltou a sorrir, exterminando a distância que a separava de Charlie. A francesa se jogou nos braços do rapaz, enlaçando-o pelo pescoço e unindo os lábios aos dele num beijo longo e apaixonado.

Em meio ao beijo, Florence soltou um risinho quando sentiu que seus pés perdiam o contato com o chão. Charles girou o corpo dela numa volta completa antes de recolocar a namorada de volta à terra firme. Os dois mantiveram o beijo por mais algum tempo antes que os lábios se separassem depois de um demorado selinho.

- Foi muito legal, não foi? – a animação deixava o sotaque francês ainda mais afetado – Alguém tinha que vencer, não é? Não fique chateado, o Wood se saiu muito bem. Ele me pareceu bem satisfeito consigo mesmo.

Enquanto falava, Legrand permaneceu pendurada no pescoço de Charlie, com o corpo delicado colado ao dele naquele encaixe perfeito que só os dois possuíam. Florence roubou mais alguns selinhos do namorado antes de continuar.

- A Ana foi dar uma entrevista e meus pais a acompanharam. Mas depois disso o papai quer conhecer você, Charlie.

Como de costume, Florence não tinha muita facilidade para reconhecer sentimentos negativos. Quando o Sr. Legrand comentou que gostaria de conhecer o namorado da filha, Florence concluiu que sua família já havia aceitado Charles. Nem em mil anos, a garota imaginaria quais eram os planos vis que povoavam a cabeça do pai naquele instante.
avatar
Violet Bryant

Mensagens : 91
Data de inscrição : 16/01/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Torneio Tribruxo

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 6 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum